PremiumEscócia ensombra euforia na Câmara dos Comuns

Com alguma surpresa, a primeira-ministra escocesa não perdeu tempo: já sinalizou politicamente o referendo à permanência da nação na União Europeia.

A nova composição da Câmara dos Comuns britânica é um alívio para todos: para os britânicos, que deixarão de assistir às guerrilhas entre conservadores e trabalhistas, entre conservadores e conservadores e entre trabalhistas e trabalhistas que os deixou exangues nos últimos dois anos; e para os continentais, que finalmente têm luz sobre o rumo que o Reino Unido quer tomar, por muito que não o compreendam.

Mas esta euforia que se viveu na Câmara dos Comuns nos últimos dos dias foi ensombrada pela Escócia, que, só para dar cabo da festa, pediu, não sem cortesia, para que permitissem à nação a organização de um referendo sobre… a saída da União Europeia. Nicola Ferguson Sturgeon, primeira-ministra escocesa desde novembro de 2014, fez esta terça-feira uma declaração no Parlamento escocês em que recordou, particularmente à luz dos resultados das eleições de 12 de dezembro – que não deixam dúvidas sobre a intenção de Inglaterra sair da União Europeia, “retirar a Escócia da UE contra a sua vontade era completamente e totalmente insustentável”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Sociopata narcisista”. Uma classificação nada abonatória, mas é assim que é descrita Meghan Markle por ex-funcionários do Palácio de Buckingham que trabalharam para os duques de Sussex, segundo o que é revelado no novo livro de Valentine Low, que escreve sobre assuntos reais para o “The Times”.
Comentários