Eslovénia. Primeiro-ministro populista perde eleição para partido ambientalista criado em janeiro

O partido democrata esloveno de Jansa obteve cerca de 24% dos votos, em comparação com 34,5% do partido ambientalista formado em janeiro, liderado pelo ex-empresário Robert Golob, que deve constituir coligação de esquerda.

6 – Eslovénia

O primeiro-ministro populista da Eslovénia, Janez Jansa, foi afastado do poder no domingo ao perder as eleições legislativas para o partido ambientalista Movimento pela Liberdade, formado em janeiro, avança a “BBC”.

O partido democrata esloveno de Jansa obteve cerca de 24% dos votos, em comparação com 34,5% do partido liderado pelo ex-empresário Robert Golob, que deve formar uma coligação governativa com outros partidos de esquerda.

Jansa esperava ganhar um quarto mandato, e admitiu ter sido derrotado na votação, mas sublinhou que o seu partido SDS obteve mais votos do que nunca. “Os resultados são o que são. Parabéns ao vencedor relativo”, disse num discurso aos seus apoiantes.

A corrida eleitoral foi marcada por alegações de que o primeiro-ministro incumbente minou o Estado de Direito na nação báltica. Golob disse que a sua vitória vai permitir levar o país “de volta à liberdade” depois de anunciar a eleição como um “referendo sobre a democracia”.

Defensor declarado do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, Jansa procurava ser eleito com base na promessa de “estabilidade”. Contudo, as suas restrições à liberdade de imprensa, de corrosão dos padrões democráticos e de disputas com a UE afastaram-no agora do cargo.

O primeiro-ministro eleito, Golon, iniciou-se na política depois de ser afastado do cargo de presidente da sua empresa de investimentos em energia. Comemorou a vitória isolado em casa depois de contrair Covid-19, mas não deixou de fazer transmissão ao vivo onde afirmou que “as pessoas querem mudanças”, tendo expressado a confiança naquele partido como o único capaz de o fazer.

Recomendadas

Biden lamenta “crise de fé” e desafia jovens contra divisão e ódio nos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, lamentou este sábado a divisão e o ódio no país, que sofre uma “crise de fé” nas instituições, e desafiou os jovens a trabalharem para curar as feridas da nação.

Ucrânia: Macron e Scholz pedem a Putin libertação de 2.500 militares de Azovstal

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o chanceler alemão, Olaf Scholz, pediram este sábado ao presidente russo Vladimir Putin para libertar 2.500 combatentes ucranianos que estavam na fábrica de aço Azovstal, em Mariupol, e foram feitos prisioneiros pelos russos.

PremiumDavos discute globalização na era da desglobalização

Depois da pandemia e da guerra na Ucrânia, a globalização nunca mais será a mesma. Na Suíça, os líderes mundiais tentaram descobrir como será o futuro, com todas as fronteiras e limites que as crises estão a criar.
Comentários