PremiumEspanha conseguirá ter estabilidade governativa?

Tudo indica que o ainda chefe do governo espanhol, Pedro Sánchez, conseguirá convencer a Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), e até talvez o PDeCAT de Carles Puigdemont, a absterem-se na investidura do governo do PSOE e do Unidas Podemos, o que fará com que o país venha em pouco tempo a ter um governo

Tudo indica que o ainda chefe do governo espanhol, Pedro Sánchez, conseguirá convencer a Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), e até talvez o PDeCAT de Carles Puigdemont, a absterem-se na investidura do governo do PSOE e do Unidas Podemos, o que fará com que o país venha em pouco tempo a ter um governo. Quanto a ter um governo estável, a coisa já é bem menos evidente. Para todos os efeitos, Sánchez terá de passar parte substancial do seu tempo a negociar equilíbrios que são (a história muito recente prova-o) tremendamente frágeis.

E Espanha está expectante para perceber que tipo de entendimento está Pedro Sánchez a arriscar com os separatistas catalães. Para já, as negociações evoluem para o entendimento que a questão catalã é política – e portanto não é para resolver no quadro da ‘cegueira’ dos tribunais.

Mas toda a gente sabe que esse é só um dos lados do problema: a Constituição também é um instrumento político, e só a sua alteração permitiria olhar para o independentismo sob uma lógica diferente.

Há quem diga que está na hora de a Espanha olhar para o federalismo com olhos de ver, mas essa não será por certo a vontade da Casa de Bourbon, nem Filipe VI estará disponível para fazer grandes concessões nessa matéria. Portanto, a resposta à pergunta é: sim haverá um governo, só ninguém sabe até quando.

O que também é uma certeza é que a questão do independentismo vai continuar a ser, como há mais de seis séculos, uma matéria que será sempre um problema para o país e, para todos os efeitos, para a própria União Europeia – que tem no separatismo um dos seus ódios de estimação.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumMemórias pessoais e transmissíveis

Mas os diários da minha tia Gália eram de um tipo muito específico: à medida que os lia, a sua textura peculiar — que se assemelhava sobretudo a uma rede de pesca de malha grande — tornava‑se cada vez mais enigmática e interessante.

PremiumGeorge Clooney e o Speedmaster ’57

Coincidindo com o 65º aniversário da linha Speedmaster, a coleção completa Omega Speedmaster ’57 inclui agora oito novos modelos.

PremiumBiografia de Lula Inácio da Silva

Para lá das emoções que provoca, positivas ou negativas, Lula da Silva está entre as maiores figuras políticas da história do Brasil. Oriundo da classe operária, opositor ativo e convicto de uma ditadura militar que sufocou a sociedade e a economia brasileiras entre 1964 e 1985, a sua história e as suas lutas confundem-se com as de um povo que, por duas vezes, o elegeu presidente da nação.
Comentários