Espanha: Liberbank e Unicaja em conversações para a fusão

As duas instituições criarão, se a operação avançar, a sexta maior instituição financeira do mercado espanhol, com ativos de mais de 95 mil milhões de euros.

Os bancos espanhóis Liberbank, participado pela Fundación Bancaria Cajastur, y a Unicaja Banco (com sede em Málaga), ambos cotados e formados por antigas caixas de aforro, abriram conversações para analisar una possível fusão que, se se concretizar, levará à criação da sexta maior instituição do mercado.

O novo banco irá assumir um volume de ativos de 95.974 milhões de euros, o que o colocaria atrás apenas do Santander, BBVA, Caixa Bank, Sabadell e Bankia. Neste momento, a Unicaja é a nona instituição do ranking do setor em Espanha, com 56.843 milhões de euros de ativos e o Liberbank é a décima, com 49.131 milhões.

As duas entidades confirmaram os contactos, segundo avança a imprensa espanhola, que descreveram como “preliminares” e incipientes, e descartaram uma decisão imediata. De acordo com as duas organizações, existe um “estudo usual de possíveis operações estratégicas” e a existência de um diálogo entre os executivos de ambos os grupos financeiros, mas ainda não foi apresentada qualquer proposta aos respetivos órgãos decisórios.

Liberbank e Unicaja encenaram no passado algumas tentativas de aproximação que, diferentemente do que está a acontecer neste momento, foram antecipadamente rejeitadas e não tiveram qualquer sucesso. Por outro lado, ambas as entidades estudaram por sua vez, nos últimos sete anos, várias tentativas tais fusões com outros grupos que acabaram por não resultar em nada.

O Liberbank rompeu negociações com o CAM e com a Ibercaja mais tarde. A Unicaja estudou a fusão com a CCM e Cajasur Córdoba, mas nunca concretizou qualquer das operações. Desta vez, as conversas parecem mais sustentáveis: a Unicaja contratou o banco de investimentos italiano Mediobanca para analisar a operação, e o Liberbank está a utilizar os serviços dos alemães do Deutsche Bank.

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Ministra da Justiça diz que é preciso melhorar condições dos processos de recuperação de empresas

“A melhoria das condições de processos de recuperação [de empresas], sobretudo em períodos de insolvência e de dúvida, como o que atravessamos, é um desafio, mas um desafio que temos de concretizar”, afirmou Catarina Sarmento e Castro.

Restaurantes da AHRESP vão assegurar alimentação dos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude

A AHRESP vai apoiar a Fundação na “definição das regras de funcionamento da rede de restaurantes e similares que irão assegurar o fornecimento de refeições para os participantes da Jornada Mundial da Juventude e contactar restaurantes e similares para promover a sua adesão à rede, bem como promover o uso do Guia de Boas Práticas da Restauração e Bebidas junto da rede”, lê-se no comunicado.  
Comentários