Espanha vai crescer 3,2% em 2015

Rajoy espera que a economia seja capaz de criar quase 600 mil empregos este ano

O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, quantificou em 3,2% o crescimento do PIB em 2015, frente aos 3,3% que o executivo tinha fixado na última revisão do cenário macroeconómico no passado mês de julho.

Assim assinalou Mariano Rajoy numa conferência de impresa após o último Conselho de Ministros do ano, onde disse que espera que a economia seja capaz de criar quase 600 mil empregos este ano.

Segundo Rajoy, Espanha poderá ter pela frente um período de estabilidade e crescimento “caso o país seja capaz de formar um governo que gere estabilidade e confiança e que continue a colocar como objetivos o crescimento e o emprego”

O crescimento de 3,2% coincide com a nova previsão do Banco de Espanha que atualizou as suas estimativas no último boletim económico após avançar um crescimento da economia de 0,8% no último trimestre de 2015.

OJE

Recomendadas

PRR: Inspeção-Geral de Finanças já deu parecer positivo a pagamento da 2.ª tranche

A Inspeção-Geral das Finanças (IGF) deu parecer positivo ao pagamento da segunda tranche do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), no valor de cerca de dois mil milhões de euros, seguindo agora o pedido de Portugal para Bruxelas.

Pais com “maior dificuldade” em pagar as despesas escolares dos filhos, alerta Deco

Estudo da Deco Proteste revela que os pais estão com maior dificuldade em pagar as despesas escolares dos filhos este ano. Mais de metade dos agregados familiares afirmam estar com mais dificuldades em fazer face aos custos com a escola dos filhos. E 42% conseguem pagar a maioria das despesas, mas não todas. Já quase três em cada dez confessam ser impossível enfrentar alguns gastos.

“Guerra fiscal” em Espanha provoca descida de impostos e nova taxa sobre fortunas

Espanha assiste estes dias a uma “guerra fiscal”, com governos regionais a anunciarem descidas e abolições de impostos a que o executivo nacional vai responder com um “pacote fiscal” que cria um imposto temporário sobre grandes fortunas.