Espanha vai registar todas as pessoas que recusem tomar a vacina contra a Covid-19

A lista que será criada pelo governo espanhol não estará acessível ao público ou aos empregadores.

Barcelona, Espanha | REUTERS/Nacho Doce

Espanha vai criar um registo com todas as pessoas que se recusem a ser vacinadas contra o novo coronavírus e compartilhá-lo com outros países da União Europeia, disse o ministro da saúde espanhol, Salvador Illa.

Segundo a “BBC”, a lista que será criada pelo Governo espanhol não estará acessível ao público ou aos empregadores. Illa sublinhou que “pessoas que recebem uma vacina e que a recusam por qualquer motivo, vai ficar registado para se saber que não há nenhum erro no sistema, por não ter excluído essa pessoa do processo de vacinação”.

Illa esclareceu ainda que “não é um documento que se tornará público e será feito com o maior respeito pela proteção de dados”.

De acordo com uma investigação recente, citada pela “BBC”, o número de cidadãos espanhóis que disseram que não tomariam a vacina caiu para 28%, comparativamente aos 47% registados em novembro.

“As pessoas que decidem não tomar a vacina, o que consideramos ser um erro, estão dentro dos seus direitos. Vamos tentar tirar as dúvidas. A vacinação salva vidas, e é a saída desta pandemia”, disse o ministro da saúde espanhol.

O número de pessoas que morreram de Covid-19 em Espanha ultrapassou as 50 mil na segunda-feira, dia 28 de dezembro. O país registou mais de 1,8 milhões de infeções durante a pandemia.

Recomendadas

Isolamento deixa de ser obrigatório para infetados com Covid-19

O Ministério da Saúde também aponta que os testes a covid-19 deixam de ser prescritos via SNS 24

Covid-19: Mortalidade e internamentos estáveis, infeções com tendência crescente

A mortalidade e as hospitalizações por covid-19 continuam em níveis estáveis em Portugal, mas o país regista uma tendência crescente de novos casos de infeção, indica o relatório sobre a evolução da pandemia hoje divulgado.

Portugal registou 19.703 mil casos e 41 mortes de Covid-19 na última semana

A Direção-Geral da Saúde contabilizou mais 2.049 infeções e mais quatro óbitos em comparação à semana anterior.
Comentários