Covid-19. Crianças “não estão isentas de ter doença grave”, diz especialista

Em entrevista ao Jornal Económico (JE) e quando questionado sobre a vacinação das crianças, Ricardo Mexia respondeu que: “A indicação que temos é de que as vacinas são seguras e eficazes”.

médicos saúde pública

O medico de saúde pública, Ricardo Mexia, frisou que as crianças não estão isentas de ter “doença grave” provocada pela Covid-19, no mesmo dia em que a Direção Geral de Saúde (DGS) deu parecer positivo para avançar com a vacinação em crianças com idades entre os cinco e onze anos.

Em entrevista ao Jornal Económico (JE) e quando questionado sobre a vacinação das crianças, Ricardo Mexia respondeu que: “A indicação que temos é de que as vacinas são seguras e são eficazes. Portanto, quando estiverem disponíveis recomendo que de facto as crianças sejam vacinadas”.

“Sabemos que as crianças não têm tipicamente doença grave, mas não estão isentas de ter doença grave e como tal também podemos protege-las”, acrescentou o especialista.

As declarações de Ricardo Mexia surgem num momento o parecer positivo da Direção Geral de Saúde (DGS) foi divulgado. Na Madeira o governo regional decidiu não esperar e avançou antes do aval da DGS.

No mesmo dia em que foi conhecida a decisão na DGS na Espanha o governo optou por avançar com a vacinação nas crianças com idades entre os cinco e os onze anos. 

A campanha começará com a chegada das primeiras doses, previstas para 13 de dezembro, e a partir daí serão distribuídas entre as comunidades, que poderão iniciar o processo no dia 15 de dezembro.

Por sua vez, o diretor da OMS para a Europa, Hans Kluge, pediu, esta terça-feira, hoje, uma melhor proteção das crianças dos 5 aos 14 anos, que agora é a faixa etária mais afetada.

Até ao momento a Covid-19 já provocou pelo menos 5.253.726 mortes em todo o mundo e mais de 265,13 milhões infeções pelo coronavírus foram detetadas desde o início da pandemia.

Relacionadas

OMS Europa quer melhor proteção das crianças, atualmente as mais afetadas (com áudio)

“A obrigatoriedade em relação à vacina é um último recurso absoluto e aplicável apenas quando todas as opções viáveis para melhorar as taxas de vacinação tiverem sido esgotadas”, disse o diretor da OMS para a Europa.

Espanha aprova vacinação para crianças entre os cinco e onze anos (com áudio)

A campanha de vacinação para crianças de 5 a 11 anos começará na Espanha a partir de 15 de dezembro.
Recomendadas

Pequim admite que Ómicron é menos virulenta e sugere fim de ‘zero covid’

A vice-primeira-ministra chinesa encarregue de supervisionar as políticas de prevenção epidémica reconheceu hoje que o país se encontra numa “situação nova” e que a virulência da covid-19 “está a enfraquecer”, sinalizando o fim da estratégia ‘zero casos’.

Covid-19: “Casa aberta” disponível para vacinação de pessoas acima dos 60 anos

As pessoas com 60 ou mais anos podem, a partir de hoje, tomar a dose de reforço da vacina contra a covid-19 e a vacina da gripe na modalidade de “casa aberta”.

Maior cidade do sul da China volta a ser palco de confrontos violentos (com áudio)

Os vídeos mostram manifestantes a arremessar garrafas de vidro e barras metálicas contra as forças de segurança, que surgem a marchar em fileiras, protegidos por escudos antimotim transparentes.
Comentários