“Esquecimento de Alexandra Reis? Estes 500 mil euros têm causado amnésia a muita gente”, critica líder parlamentar da Iniciativa Liberal

“Este meio milhão de euros vai ficar na história da política portuguesa por ter causado amnésia ao número mais vasto de pessoas”, sublinhou Rodrigo Saraiva, líder parlamentar da Iniciativa Liberal. O jornal “Público” avança este domingo que Alexandra Reis não declarou junto do Constitucional a indemnização de 500 mil euros recebida após a saída da TAP.

Rodrigo Saraiva, líder da bancada parlamentar da Iniciativa Liberal, criticou este domingo o facto de Alexandra Reis, ex-secretária de Estado do Tesouro, não ter declarado junto do Tribunal Constitucional a indemnização de 500 mil euros recebida após a saída da TAP.

Alexandra Reis, a ex-secretária de Estado do Tesouro, não terá declarado a indemnização de 500 mil euros ao Tribunal Constitucional como a lei exigia, revela este domingo a edição impressa do jornal “Público”.

O diário avança que a ex-administradora da TAP devia ter declarado ao Tribunal Constitucional a “alteração no seu património no prazo de 30 dias – o valor e a proveniência”.

“Este meio milhão de euros vai ficar na história da política portuguesa por ter causado amnésia ao número mais vasto de pessoas”, começou por sublinhar Rodrigo Saraiva.

“Parece que não foi só Alexandra Reis que teve um problema de amnésia com 500 mil euros, não é daqueles valores que nos possamos esquecer. Mas aparentemente estarão a causar amnésia não só a Alexandra Reis como ao ex-ministro Pedro Nuno Santos e ao atual ministro Fernando Medina e a vários secretários de Estado, uns que já saíram e outros que ainda lá estão”, criticou o líder parlamentar ouvido pela “CNN Portugal” na convenção que vai eleger o novo líder da Iniciativa Liberal.

Para Rodrigo Saraiva, a indemnização atribuída a Alexandra Reis é algo que está inserido numa decisão ainda mais escandalosa e que está relacionada com “a nacionalização da TAP e os 3,2 mil milhões de euros que foram injetados” na companhia de aviação.

Em 27 de dezembro, o ministro das Finanças, Fernando Medina, demitiu Alexandra Reis das funções de secretária de Estado do Tesouro, menos de um mês depois de a ter convidado para este lugar no Governo e ao fim de quatro dias de polémica com a indemnização de 500 mil euros que esta gestora de carreira recebera da TAP, empresa então tutelada por Pedro Nuno Santos.

Alexandra Reis recebeu uma indemnização para sair antecipadamente, em fevereiro, de administradora executiva da transportadora aérea. Em junho, foi nomeada pelo Governo para a presidência da Navegação Aérea de Portugal (NAV) e em dezembro assumiu as funções de secretária de Estado do Tesouro.

Relacionadas

Alexandra Reis não declarou a indemnização de 500 mil euros ao Tribunal Constitucional

Lei exigia que a ex-secretária de Estado do Tesouro declarasse a indemnização que recebeu da TAP mas Alexandra Reis não o fez, avança o “Público” este domingo.
Recomendadas

Pedro Nuno Santos só regressa ao Parlamento no verão

Se o ministro demissionário não quiser voltar ao lugar de deputado na Assembleia da República, terá de renunciar ao lugar.

Parlamento debate hoje apreciações parlamentares sobre novo estatuto do SNS

O PSD propõe também que sejam criados “verdadeiros incentivos para os médicos de família terem a motivação necessária para ficarem no SNS, e possivelmente até atrair médicos que o SNS foi perdendo ao longo dos últimos anos, para procurar responder à questão da falta de médicos de família”.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

Pedro Nuno Santos prolonga suspensão do mandato; Fecho do ano traz otimismo mas famílias vão continuar a sofrer; Imposto fez baixar 38% a venda das bebidas mais açucaradas.
Comentários