“Está a ser trabalhada solução para a Linha do Tua”, diz Pedro Nuno Santos

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse, esta segunda-feira, que se está a trabalhar para encontrar uma solução para viabilizar a Linha do Tua, onde se mantém um impasse na concretização do plano de mobilidade.

“Nós estamos a trabalhar para encontrar uma solução para viabilizar a linha do Tua e é esse o trabalho que nós faremos com muito afinco”, afirmou o ministro, que falava aos jornalistas em Freixo de Espada à Cinta, distrito de Bragança, à margem de uma cerimónia sobre a Linha do Douro.

De Mirandela até ao Tua está previsto o regresso do comboio do anunciado e adiado plano de mobilidade prometido como contrapartida pela construção da barragem de Foz Tua.

A barragem já está a produzir energia há vários anos, mas a incerteza continua em relação ao regresso do comboio.

A parte turística do plano de mobilidade foi concessionada ao empresário Mário Ferreira, dono da Douro Azul, onde estão incluídas viagens de barco e comboio. A EDP deu 10 milhões de euros ao empresário para investir no Vale do Tua.

A área de influência da albufeira da barragem abrange os concelhos de Alijó, Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Murça e Vila Flor.

“Nós sobre a Linha do Tua temos que encontrar, e vamos ter a cooperação dos municípios e do ministério da Coesão Territorial, um novo modelo para podermos olhar para a Linha do Tua e ver como é que nós a podemos rentabilizar e operar, essa é a nossa intenção”, acrescentou Pedro Nuno Santos.

Perante a pergunta dos jornalistas os atrasos na concretização do plano de mobilidade do Tua, o ministro respondeu: “a diferença é que o ministro das Infraestruturas sou eu, a ministra da Coesão é a Ana Abrunhosa e nós só sabemos fazer, não sabemos ficar a assistir”.

“Nós vamos tentar encontrar uma solução para o Tua e é isso que nós podemos dizer nesta fase. Se nós quisermos que as pessoas acreditem em nós, nós temos que ser verdadeiros. Há ali uma questão que tem que ser resolvida, sobre a qual nós temos que trabalhar, e nós vamos trabalhar sobre ela”, frisou.

Conjuntamente com a ministra Ana Abrunhosa, Pedro Nuno Santos assistiu, em Freixo de Espada à Cinta, à apresentação de estudos de viabilidade económica técnica e ambiental da reabertura do troço de 18 quilómetros entre o Pocinho e Barca d’Alva, na Linha do Douro.

No final, o ministro anunciou que, no primeiro trimestre de 2023, será lançado o concurso público para a elaboração do estudo prévio e o projeto de reativação da Linha do Douro até à fronteira espanhola.

Relacionadas

Ministro das Infraestruturas quer reativar Linha do Douro até à fronteira

O ministro das Infraestruturas anunciou hoje que no primeiro trimestre de 2023 será lançado o concurso público para a elaboração do estudo prévio e o projeto de reativação da Linha do Douro entre o Pocinho e Barca d’Alva.
Recomendadas

Paciência zero para a política Covid zero na China. Ouça o podcast a “A Arte da Guerra”

A política de Covid zero começa a fazer mossa na China com o confinamento de centenas de milhões de pessoas a desencadear protestos pouco comuns na presidência de Xi Jinping. Os incidentes diplomáticos no Qatar e a perseguição aos curdos por parte de Erdogan são também temas em análise.

Partidos votam contra ensino do português no estrangeiro gratuito

O único dos nove diplomas sobre ensino do português no estrangeiro que acabou por ser aprovado foi um projeto de resolução da iniciativa do Partido Socialista (PS).

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.
Comentários