Estado burlado em milhões de euros com importação de carros usados

Proprietários de “stands” de automóveis estão a criar empresas de fachada em Espanha para fugirem aos impostos em Portugal.

Vishwanathan/Bloomberg

Proprietários de “stands” de automóveis estão a criar empresas de fachada em Espanha para fugirem aos impostos em Portugal. Importam viaturas, especialmente da Alemanha, que transitam pela “empresa espanhola” antes de entrarem em Portugal, usando um esquema fiscal fraudulento para pagar menos IVA, conta hoje o JN.

As Finanças têm detetado dezenas destas empresas, havendo já registo de condenações a empresários. Porém, estes acabam por fugir ao pagamento das dívidas fiscais, utilizando o tempo da investigação internacional para se verem livres dos bens e encerrar as empresas, reabrindo muitas vezes com outro nome.

De acordo com o matutino, a fraude cresce ao ritmo dos carros importados, que, só em 2015, foram 45 mil. Seguindo o exemplo do JN, para um carro comprado na Alemanha por 20 mil euros e vendido em Portugal por 25 mil, que deveria pagar cerca de 5750 euros de IVA, vai apenas pagar 700 euros, após o esquema fraudulento.

De acordo com o jornal, há vários empresários do ramo que estão a ser investigados em vários pontos do país.

Recomendadas

Implementação do Metro do Porto foi “processo de catequização”

O administrador dos Transportes Intermodais do Porto (TIP), Manuel Paulo Teixeira, disse à Lusa que a equipa que lançou o Metro do Porto, da qual fez parte, fez “um processo de catequização” para convencer pessoas, autarcas a instituições.

Amazon planeia gastar 95 milhões de euros por ano em publicidade no Twitter

Este valor faz parte da estratégia da retalhista online no regresso à publicidade na rede social agora liderada por Elon Musk, mas está ainda dependente de alguns “ajustes de segurança” na plataforma de anúncios do Twitter.

Comércio online representou 22% de todo o comércio na Black Friday

As compras por MB Way dispararam face a 2019, com uma subida de 1.730%, de acordo com os dados divulgados pelo Forward Payment Solutions (SIBS).
Comentários