Estado francês vende 1,21 mil milhões de euros em ações da Renault

França diminuiu a sua participação na Renault, passando agora a deter apenas 15% do construtor gaulês. O negócio rendeu aos cofres do Eliseu 1,21 mil milhões de euros.

O Governo de Macron concluiu a venda de 1,21 mil milhões de euros de ações da Renault, desfazendo-se assim das ações adquiridas aquando da luta de poder com o construtor. No total, o estado francês desfez-se de 14 milhões de ações da Renault, reduzindo a participação na empresa para os históricos 15%, segundo a agência estatal de investimento, a APE, que acrescentou que a Renault deverá adquirir cerca de 1,4 milhões destas ações.

Recorde-se que foi o atual presidente, Emmanuel Macron, que, em abril de 2015, ainda como ministro da Economia, levou adiante a compra das ações, aumentando a participação estatal na empresa, para impedir que a Nissan – que gera a maior parte dos dividendos da Aliança – o fizesse. Agora, cumpre uma promessa feita na altura, de retirar das mãos do governo, as ações extra. Esta venda poderá ajudar a acalmar as tensões existentes entre Carlos Ghosn, CEO da Renault e da Nissan, e o governo de Macron.

À boleia de uma forte performance comercial, as ações da Renault subiram 16% nos dois últimos meses para os 86,6 euros por ação, o que coloca a valorização da Renault em 25,6 mil milhões de euros. Apesar de diminuir a sua participação, o Estado Francês continuará a ser o maior acionista da Renault, ligeiramente acima da Nissan.

Relacionadas

Receitas da Renault ascendem a 12,2 mil milhões de euros no terceiro trimestre

As receitas do Grupo Renault ascenderam a 12,2 mil milhões de euros no terceiro trimestre do ano, um aumento de 15,9% face aos resultados homólogos de 2016. As vendas também subiram: 9,4%.

IMx. O Elétrico da Nissan que é mais potente que o GT-R 

O salão de Tóquio foi o palco da apresentação do IMx, o mais recente protótipo da Nissan. 100% elétrico, este crossover oferece 600 km de autonomia e os seus dois motores tornam-no mais potente que o GT-R. Vai usar uma plataforma comum aos parceiros da Aliança 
Recomendadas

Bruxelas quer emitir 50 mil milhões de euros em obrigações para financiar NextGenerationEU

Bruxelas anunciou o programa de financiamento para entre julho e dezembro.

Bruxelas favorável a reprogramação de investimentos face aos preços

A Comissão Europeia respondeu hoje favoravelmente à solicitação de Portugal e outros Estados-membros para que os programas de investimentos dos Planos de Recuperação e Resiliência (PRR) possam ser reprogramados, face aos preços “anormalmente elevados”, revelou o primeiro-ministro.

DECO questiona porque Espanha reduz IVA para 5% e Portugal não

“O pagamento da fatura de eletricidade e gás tem um peso considerável no orçamento das famílias portuguesas, pelo que consideramos que a redução do IVA é uma medida adequada, necessária e urgente”, escreve a DECO.
Comentários