“Estado honrará compromissos internacionais”, assegura Mário Centeno

Mário Centeno, o novo ministro das Finanças assinala que “O Estado honrará todos os compromissos internacionais, especialmente na parte da questão europeia”.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

“O Estado honrará todos os compromissos internacionais, especialmente na parte da questão europeia”. Esta foi uma das primeiras afirmações de Mário Centeno, o ministro das Finanças, no seu primeiro discurso como governante e que acontece no Forum Empresarial do Algarve, promovido pelo LIDE Portugal. Centeno comprometeu-se a apresentar o OE de 2016 “o mais depressa possível”, sem indicar datas.

O discurso em versão reduzida teve várias palavras chave como moderação, tranquilidade e confiança. Centeno seguiu o guião do programa eleitoral do PS ao afirmar que “a austeridade não gera crescimento”, para logo de seguida acrescentar que “pensar Portugal no futuro é pensar na responsabilidade do Estado”.

Houve ainda outras afirmações políticas como a de que “não recuperamos competitividade pelo empobrecimento coletivo”, ou ainda a frase feita de que “o Governo inicia um tempo novo com mais crescimento e equidade”, para de seguida acrescentar que será necessário eficácia na utilização de fundos. Frisou a questão da confiança nas instituições para uma paz social efetiva, para ainda descansar a plateia com a ideia de que este Governo irá “assegurar finanças públicas equilibradas, com alívio fiscal numa “relação virtuosa” entre o crescimento e o controlo orçamental. O discurso foi curto, sem direito a perguntas.

Vítor Norinha/OJE

Recomendadas

Associação dos municípios aprova acordo para descentralização na ação social

Com este acordo, “no próximo ano, a transferência de competências tornar-se-á universal”, segundo a ANMP.

Governo apela a entendimento entre sindicato e administração da TAP para evitar greves

“O apelo que posso fazer é para que a administração, mas também o sindicato faça um esforço de entendimento e que se consiga poupar a TAP a mais cinco dias de greve”, afirmou Pedro Nuno Santos.

Chega espera que SIC “aja em conformidade com o recomendado pela ERC”

“O Chega considera que é importante garantir a pluralidade neste tipo de programas”, disse o partido em comunicado.