Estado Islâmico reivindica ataque que matou cinco soldados no Egito

Uma filiação do grupo Estado Islâmico no Egito reivindicou hoje a responsabilidade por um ataque que matou pelo menos cinco soldados na Península do Sinai, no Egipto.

O grupo extremista anunciou a reivindicação do ataque de quarta-feira num comunicado divulgado pela sua agência de notícias Aamaq. A autenticidade da declaração não pôde ser verificada, mas foi divulgada no Telegram, tal como já aconteceu anteriormente. O ataque envolveu uma emboscada contra um posto de controlo da guarda fronteiriça a oeste da cidade mediterrânea de Rafah, que faz fronteira com a Faixa de Gaza.

Os militares disseram que pelo menos cinco soldados, incluindo um oficial, foram mortos no ataque. Pelo menos sete extremistas também foram mortos, acrescentaram, sobre aquele que foi o segundo ataque em menos de uma semana.

No sábado passado, pelo menos 11 soldados foram mortos, num dos ataques mais mortíferos contra as forças de segurança egípcias nos últimos anos.

O grupo Estado Islâmico também reivindicou este ataque, ocorrido na cidade de Qantara, na província de Ismailia, que se estende a leste do Canal de Suez.

O Egito está a lutar contra uma insurgência no Sinai, que se intensificou depois de os militares terem derrubado o presidente islâmico eleito em 2013.

Os extremistas realizaram dezenas de ataques, principalmente contra forças de segurança e cristãos, mas o ritmo diminuiu nos últimos anos.

Recomendadas

Ministro dos Negócios Estrangeiros vai fazer visita de três dias a Cabo Verde

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, João Gomes Cravinho, chega na segunda-feira a Cabo Verde para uma visita oficial de três dias, que inclui encontros com o homólogo e também com o Presidente da República e primeiro-ministro cabo-verdiano. De acordo com uma nota do ministério, hoje divulgada, João Gomes Cravinho vai visitar as ilhas de […]

Ucrânia: Rússia destruiu 58 infraestruturas civis na região de Donetsk

A Polícia Nacional ucraniana informou que as tropas russas bombardearam nas últimas 24 horas 12 zonas residenciais da região de Donetsk, tendo destruído 58 infraestruturas civis.

Costa: “Portugal contribui para o reforço da fronteira Leste da NATO”

O primeiro-ministro usou o Twitter para deixar a mensagem de que Portugal “é solidário com a Polónia no seu apoio aos refugiados, [bem como] apoia a Ucrânia na sua luta pela paz e na preparação do seu esforço de reconstrução.”
Comentários