Estado já aumentou capital da CP em 446 milhões de euros este ano

Desde 23 de outubro, o Estado português já procedeu a três aumentos de capital na transportadora ferroviária nacional para tentar solucionar a questão do défice financeiro crónico da empresa.

O Estado português decidiu aumentar o capital da CP em mais 11 milhões de euros, segundo um comunicado enviado ontem à CMVM – Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Este é já o terceiro aumento de capital que o Estado português, único acionista da transportadora ferroviária nacional, aplicou este ano na empresa, uma solução para continuar a resolver o crónico défice financeiro da transportadora ferroviária nacional.

No total, o Estado português já injetou este ano, no conjunto destas três operações, cerca de 446 milhões de euros na CP.

Em 11 de dezembro, num outro comunicado enviado à CMVM, a CP informou que o Estado português tinha procedido a um aumento do capital da empresa em cerca de 418 milhões de euros, o maior dos três já efetuados em 2017.

Dessa vez, o o capital estatutário da empresa passou a ser de 3.839.091.940,00 euros.

A 23 de outubro, a CP anunciou ao mercado que o Estado havia procedido a um aumento de capital de 16,8 milhões de euros.

Recorde-se que a CP encerrou o ano passado com um passivo financeiro de 3.319 milhões de euros, uma redução de 14,5% face ao período homólogo de 2015.

Esta quebra de 568,673 milhões de euros (de 3.887,75 para 3.319,077 euros) foi essencialmente conseguida por via de aumentos de capital assumidos pelo Estado na CP ao longo do ano passado.

Esta é, aliás, uma prática que já era aplicada pelo anterior Executivo de Pedro Passos Coelho, não só na CP, como em outras empresas de transportes e de infraestruturas, prática que tem sido seguida pelo atual Executivo de António Costa.

No final do ano passado, os resultados líquidos da CP foram negativos em 144 milhões de euros, uma melhoria significativa face aos prejuízos acumulados de 278,65 milhões de euros averbados no exercício de 2015.

Relacionadas

Dívida das empresas públicas caiu mais de 1.300 milhões de euros até junho

Ainda assim, o valor do endividamento ficou acima do objetivo expresso nos orçamentos das empresas do Estado.

CP, Metro e Rede Nacional de Expressos são as empresas de transportes com mais reclamações

A Autoridade da Mobilidade e dos Transportesrecebeu no primeiro semestre deste ano, diretamente ou por via de livros de reclamações, 8.158 queixas, a maioria das quais nos setores rodoviário e ferroviário, que totalizaram 88,5%.
Recomendadas

Cheque-família começa a ser pago a partir de 20 de outubro, anuncia Marques Mendes

No seu espaço habitual de comentário ao domingo no Jornal da Noite da Sic, Marques Mendes assegurou que este apoio, anunciado pelo Governo a 5 de setembro, vai começar a chegar às contas bancárias das famílias a partir do dia 20 do próximo mês.

Comissão Europeia diz que Portugal é “moderadamente inovador”

O país encontra-se no grupo dos países moderadamente inovadores, passando da 19ª para a 17ª posição entre os 27 Estados-Membros, segundo os dados da Comissão Europeia tornados públicos pela ANI (Agência Nacional de Inovação).

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.
Comentários