Estado nomeia administrador para o BCP a ganhar 67,5 mil euros por ano

O Estado nomeou um administrador ao abrigo do direito que a lei lhe dá por ter emprestado dinheiro ao banco em 2012. O BCP quer livrar-se desse empréstimo o mais depressa possível.

Cristina Bernardo

O Governo decidiu nomear um administrador para o BCP, ao abrigo da lei que rege os empréstimos aos bancos através do obrigações conversíveis de capital contingente, vulgo CoCo’s, que foram subscritos pelo Estado em 2012, para ajudar ao reforço dos rácio de capital. O BCP ainda deve 750 milhões de euros e o Estado decidiu nomear um representante para substituir o administrador Bernardo Sottomayor que foi escolhido pelo Estado aquando da ajuda estatal, mas que depois saiu em Fevereiro a pedido do próprio.

Em Diário da República de hoje é anunciada a nomeação de André David Nunes para a administração do BCP.

O nomeado têm assento e direito de voto na Comissão de avaliação de risco e na Comissão de remunerações e avaliação. Para além de ter direito de voto nas reuniões do Conselho de Administração.

O administrador do Estado tem ainda o poder para requerer auditorias externas e independentes, sendo os custos dessas auditorias imputados ao banco.

Dadas as responsabilidades o Estado estipulou que o BCP pague ao seu representante na administração 67,5 mil euros brutos por ano, para além de despesas necessárias para o desempenho da função, nomeadamente com pessoal administrativo auxiliar.

O empréstimo que o Estado deu ao BCP em 2012 foi de 3.000 milhões de euros. A lei que enquadra está ajuda da direito ao Estado a nomear dois administradores não executivos.

O empréstimo do Estado concedido na sequência de um défice de capital fruto da alteração das regras europeias de contabilização do investimento em dívida soberana de longo prazo, começou por custar ao banco 8% ao ano em juros e acaba em 10%.

O banco liderado por Nuno Amado tem intenção de pagar o que resta do empréstimo ao Estado antes do fim do prazo. Marques Mendes disse no seu comentário da SIC que o BCP paga 750 milhões de euros em CoCos até Fevereiro de 2017.

O despacho de nomeação do administrador do Estado foi assinado a 2 de Dezembro pelo secretário de Estado Adjunto, do Tesouro e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix.

Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

Banco de Portugal mantém a zero a exigência aos bancos de um “reserva contracíclica de fundos próprios”

O Banco de Portugal revelou o tradicional comunicado sobre a reserva contracíclica de fundos próprios, desta vez relativa ao 4.º trimestre de 2022. O supervisor vai manter a dispensa de constituição de reserva contracíclica para a banca no quatro trimestre deste ano, à semelhança do que sucedeu nos anteriores.

Merlin Properties compra sede do Novobanco na Avenida da Liberdade por 112 milhões

A informação do comprador foi confirmada pela entidade bancária esta sexta-feira em comunicado, depois de já ter avançado com o valor do negócio nas últimas semanas.
Comentários