Estado poderá recuperar 67 milhões de euros do BPP

O litígio entre o Estado, o Banco Privado Português e o BPP Cayman, que se arrastava desde 2009, pode estar perto do fim, o que permitirá ao erário público receber cerca de 67 milhões de euros que serão abatidos ao dinheiro injetado em 2008 no BPP.

De acordo com o Expresso, um acordo entre o Governo, o BPP, SA e o BPP Cayman, instituições em liquidação, deverá permitir ao Estado reaver 67 milhões de euros. O erário público receberá desde já 7 milhões de euros relativos a créditos dados como garantia ao Estado e que foram recuperados pelo BPP Cayman.

O restante valor, cerca de 60 milhões de euros, está incluída numa verba total de 100 milhões de euros que eram reclamados pelo Estado, BPP e BPP Cayman. Estas duas últimas entidades receberão 15 e 25 milhões de euros, respectivamente, conduzidos depois para as suas massas falidas.

Os 67 milhões de euros serão usados para abater aos 450 milhões de euros colocados em 2008 por seis bancos no BPP, injecção feita com garantia estatal.

Para que o dinheiro dê entrada nos cofres públicos é ainda necessário que os tribunais em Portugal e nas ilhas Cayman dêem o seu consentimento ao acordo alcançado e que demorou dois anos a obter.

Recomendadas

Saídas de capital do Credit Suisse quase estancadas e já se nota regresso de depositantes de elevado património

O banco deverá ter perdido cerca de 10% dos fundos depositados na operação de gestão de ativos, devido a desconfianças dos clientes relativamente à solvabilidade da instituição.

“Falar Direito”. “Renegociação? Medida deveria abranger outro tipo de créditos mais onerosos”

Na última edição do programa da plataforma multimédia JE TV, advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, considerou que o diploma referente à renegociação do crédito à habitação deveria ser mais abrangente, tendo em conta a contração de outros créditos mais onerosos.

Juro médio dos novos depósitos de particulares dispara em outubro para máximo de cinco anos

Segundo os dados divulgados hoje pelo Banco de Portugal (BdP), “em outubro o montante de novos depósitos a prazo de particulares foi de 4.726 milhões de euros, remunerados a uma taxa de juro média de 0,24%”.
Comentários