Estado relança venda do Efisa em janeiro

A alienação deverá ser realizada por concurso público, limitado a entidades que preencham os requisitos e sejam “selecionadas de acordo com os critérios definidos.”

A “holding” estatal informou, hoje, o mercado que o procedimento de alienação do Banco Efisa será lançado durante o mês de janeiro de 2018 com a publicação do respetivo anúncio, confirmando a notícia avançada hoje pelo Jornal Económico.

“A alienação deverá ser realizada por concurso público, limitado a entidades que preencham determinados requisitos e que venham a ser selecionadas de acordo com os critérios definidos no respetivo programa de concurso”, explica a Parparticipadas, no comunicado enviado à CMVM.

A vendedora diz acreditar que o procedimento possa ser concluído, com a adjudicação da proposta vencedora, num prazo de três a quatro meses.

Tal como o “Jornal Económico” avançou, a privatização do Efisa está ser relançada, após o fracasso da primeira tentativa de alienação, à Pivot, sociedade detida pela gestora de fundos Aethel Partners. A operação está a ser conduzida pela holding estatal que ficou com os ativos do BPN, nacionalizado em 2008.Isto depois de o Governo ter dado luz verde, no fim de agosto, à reabertura do processo de privatização do Banco Efisa.

Na edição desta sexta-feira, o semanário de economia adianta ainda que o Banco Económico, ex-BES Angola, pretende ter uma presença em Portugal, através da abertura de uma sucursal ou da compra de uma instituição que tenha licença bancária para operar no nosso país. A instituição angolana tem mantido contactos com o supervisor português e pediu informações sobre o Banco Efisa, cujo processo de venda está a ser relançado.

 

Relacionadas

Estado relança venda do Efisa em janeiro

A alienação deverá ser realizada por concurso público, limitado a entidades que preencham os requisitos e sejam “selecionadas de acordo com os critérios definidos.”

Efisa na mira do Banco Económico

Antigo BES Angola foi uma das entidades que pediram informações sobre o Efisa, o banco de investimento do BPN, que vai ser privatizado.
Recomendadas

PremiumMontepio suspende projeto para retirar 700 milhões de malparado

Chama-se “Projeto Douro” e pretendia retirar do balanço do banco entre 600 a 700 milhões de imóveis e crédito malparado a grandes empresas. Mas o processo está parado e sem data de retoma.

Laginha de Sousa defende a tributação do carbono para alinhar os incentivos privados com os objetivos sociais

Numa intervenção nas ESG Talks, o ainda administrador do Banco de Portugal e futuro presidente da CMVM, Luís Laginha de Sousa, citou um estudo recente da consultora McKinsey, que constata que mais de 90% das empresas do S&P 500 publicam atualmente algum tipo de relatório sobre sustentabilidade ESG. 

Fundação Santander lança mil bolsas para curso de negócios digitais

A Fundação Santander lançou mil bolsas que dão acesso ao curso Digital Business Development do Técnico+ Formação Avançada, unidade de pós-graduação do Instituto Superior Técnico.
Comentários