Estados Unidos alertam Reino Unido para os perigos da entrada da Huawei no 5G

Este não é o primeiro aviso feito pela administração de Trump ao Reino Unido em relação aos perigos associados à Huawei. As autoridades de segurança britânicas já concluíram que qualquer risco da Huawei pode ser mitigado se for excluído do “núcleo” da rede, mas as autoridades americanas discordam dessa avaliação.

Twitter/Boris Johnson

Os Estados Unidos criticaram o Governo do Reino Unido por permitir à empresa chinesa Huawei desenvolver as redes de telecomunicações 5G no país.

O conselheiro de segurança nacional Robert O’Brien alertou Londres sobre a permissão da Huawei nas suas redes de telecomunicações 5G, afirmando que essa medida representaria um risco para os serviços secretos britânicos, noticiou o Financial Times, esta terça-feira.

“Eles vão roubar segredos de Estado, sejam eles os segredos nucleares do Reino Unido ou do MI6 ou MI5 [serviços de inteligência secreta]”, disse O’Brien ao jornal de economia britânico. “É chocante para nós que as pessoas no Reino Unido olhem para a Huawei de forma comercial. O 5G é uma decisão de segurança nacional”, acrescentou.

Este não é o primeiro aviso feito pela administrarão de Trump ao Reino Unido em relação aos perigos associados à Huawei, mas o aviso de O’Brien eleva essa pressão a um novo nível, dado chegar numa altura em que o Executivo de Boris Johnson prepara-se para decidir se a empresa de telecomunicações chinesa será banida das redes 5G do país.

As autoridades de segurança britânicas concluíram no ano passado que qualquer risco da Huawei pode ser mitigado se for excluído do “núcleo” da rede, mas as autoridades norte-americanas discordam dessa avaliação. A Austrália também pediu ao Reino Unido que barre a Huawei de suas redes 5G.

O’Brien continou por dizer que pessoas na Europa, Japão, Nova Zelândia e Austrália estavam a começar a entender as preocupações levantadas pelos Estados Unidos contra a Huawei.

Desde o inicio do ano que os Estados Unidos estão a pressionar os países a não concederem acesso à Huawei às redes 5G, alegando que o equipamento da empresa poderia ser usado por Pequim para espionagem, uma acusação que a empresa chinesa negou repetidamente.

Em maio, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou uma ordem executiva que proibia as empresas americanas de usar equipamentos de telecomunicações fabricados por empresas que representam um risco à segurança nacional. No mesmo mês, a admnistração Trump adicionou a Huawei à sua lista negra comercial, justificando o motivo com “preocupações de segurança nacional”.

Relacionadas

Governo de Costa responde a enviado de Trump: “Investimento chinês em Portugal cumpre a legislação”

O chefe da diplomacia norte-americana atacou o investimento chinês nas redes de telecomunicações europeias, como o da empresa chinesa Huawei em Portugal. O Governo português garante que confia nas empresas chinesas que investiram em Portugal na energia, banca e seguros.

Chefe da diplomacia de Trump: “China vai usar todos os instrumentos à sua disposição para oprimir os povos do mundo”

Washington alertou o Governo de António Costa para o que considera ser os riscos da abertura das redes de telecomunicações a empresas chinesas. Lisboa diz que vai respeitar as conclusões da análise que está a ser realizada por Bruxelas ao dossier do 5G.

Assessor de Trump critica duramente países que cooperam com a Huawei no 5G

O assessor de Donald Trump para a tecnologia fez um discurso bastante crítico sobre o regime chinês durante a Web Summit.

Huawei responde à Casa Branca: Assessor de Trump fez declarações “hipócritas e falsas”

Michael Kratsios acusou a Huawei e o Governo chinês de cumplicidade. Em reação, a Huwaei rejeita as acusações e acusa Donald Trump de insultar os “valores europeus”.
Recomendadas

El Corte Inglés contrata mais de 500 colaboradores para o Natal

“Para além deste período de Natal, há ainda possibilidade de permanecerem em contratos futuros, tal como tem acontecido em anos anteriores”, garante a empresa.

Bosch Industry Consulting abre escritório em Espanha

As operações da Bosch Industry Consulting em Espanha irão beneficiar da existência do centro de competências da Bosch em Aveiro.

EDP Brasil emite papel comercial no valor de 292 milhões de euros para amortizar dívida ao BNDES

O objetivo da emissão é realizar o pagamento antecipado da dívida com o Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social – BNDES, no montante aproximado de 470 milhões de reais e distribuir o restante ao acionista, diz a empresa.
Comentários