Estados Unidos e China fecham acordo de princípio sobre comércio

A notícia deverá ser confirmada em breve por um comunicado da Casa Branca. O acordo era esperado pelos analistas, numa altura em que o presidente Donald Trump está em apuros com o ‘impeachment’.

Os Estados Unidos chegaram a um acordo comercial de “primeira fase” com a China, disse uma fonte próxima das negociações entre os dois países esta quinta-feira, afirmando que um comunicado da Casa Branca é esperado em breve.

O presidente Donald Trump tinha programado reunir-se com os seus principais consultores comerciais durante a tarde. Antes da reunião, o representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, disse aos senadores que o anúncio sobre o acordo estava possivelmente “iminente”, disse aos jornais o senador republicano John Cornyn.

A Bloomberg News foi a primeira a informar que um acordo de princípio havia sido alcançado, o que vem de encontro àquilo que os analistas esperavam – mas não podiam ter a certeza, dado que a Casa Branca passou as semanas mais recentes a fazer várias variações sobre a rota que tinha imprimido ao assunto.

Os negociadores dos Estados Unidos ofereceram uma redução das tarifas de cerca de 375 mil milhões de dólares em mercadorias chinesas, disseram várias fontes ligadas ao processo, e a suspensão de 160 mil milhões sobre mercadorias que devia entrar em vigor no próximo domingo.

Os analistas já tinham dito que a aproximação das eleições norte-americanas e a pressão exercida sobre a Casa Branca com o impeachment já aprovado na câmara baixa, onde os democratas são maioritários, eram o cenário certo para o acordo com a China.

Relacionadas

China quer tarifas dos Estados Unidos retiradas na primeira fase do acordo comercial

O presidente do Comité de Finanças do Senado dos EUA, Chuck Grassley, informou os repórteres na terça-feira que Pequim convidou o representante comercial dos Estados Unidos Robert Lighthizer e o secretário do Tesouro Steven Mnuchin para conversas pessoais em Pequim.
Recomendadas

Guterres manifestou a embaixador russo oposição a anexação de territórios

Antes, António Guterres alertou a Rússia que a anexação de territórios ucranianos “não terá valor jurídico e merece ser condenada”, frisando que “não pode ser conciliada com o quadro jurídico internacional”.

Brasil. Equipa assegurará “perfeita realização” das eleições em Portugal

Paulino Franco de Carvalho Neto, secretário de assuntos multilaterais políticos do ministério, designado como Itamaraty, disse em conferência de imprensa no consulado-geral do Brasil em Lisboa que o ministro Carlos França enviou uma equipa para acompanhar os serviços dos consulados em Portugal durante o ato eleitoral.

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.
Comentários