Estados Unidos mataram líder da Al-Qaeda Ayman al-Zawahiri

Um alto funcionário do governo norte-americano revelou aos jornalistas que decorreu no fim de semana uma “operação antiterrorista contra um grande alvo da Al-Qaeda” no Afeganistão.

Os Estados Unidos mataram o líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, depois de uma operação antiterrorista “bem-sucedida” durante o fim de semana no Afeganistão, segundo a Casa Branca e os ‘media’ norte-americanos.

Um alto funcionário do governo norte-americano revelou esta segunda-feira aos jornalistas que decorreu no fim de semana uma “operação antiterrorista contra um grande alvo da Al-Qaeda” no Afeganistão.

Segundo os ‘media’ norte-americanos, o alvo de um ataque de ‘drone’ da Agência Central de Inteligência (CIA) “bem-sucedido”, em Cabul, foi o líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri.

Zawahiri assumiu a liderança da organização terrorista após a morte de Osama bin Laden, numa operação norte-americana no Paquistão, em 2011.

O presidente dos EUA, Joe Biden, irá discursar às 19:30 (00:30 em Lisboa), sobre a “operação de contraterrorismo bem-sucedida”.

Ainda segundo a Casa Branca, esta operação “não causou vítimas civis”.

O governo norte-americano atrasou a divulgação das informações até que a morte do líder da Al-Qaeda pudesse ser confirmada, segundo fonte que falou sob a condição de anonimato à agência Associated Press (AP).

Uma força do Exército norte-americano esteve no Afeganistão para apoiar o ataque e retirou-se depois, adiantou à AP um alto funcionário da inteligência dos EUA.

O Departamento de Estado norte-americano oferecia até 25 milhões de dólares de recompensa por informações que levassem à captura do líder da Al-Qaeda.

O operação ocorre quase um ano depois da retirada caótica das forças norte-americanas do Afeganistão, que permitiu aos talibãs recuperarem o controlo do país, 20 anos depois.

O ataque contra Al-Zawahri permite eliminar a figura que moldou a Al-Qaeda, primeiro como vice de Osama Bin Laden desde 1998 e depois como o seu sucessor.

As duas figuras utilizaram armas do movimento ‘jihadista’ para atacar os Estados Unidos, orquestrando o ataque mais mortífero em solo norte-americano, os ataques de 11 de setembro de 2001.

Os ataques ao World Trade Center e ao Pentágono fizeram de Bin Laden o ‘inimigo número um da América’, mas estes nunca teriam ocorrido sem o seu braço direito.

Bin Laden forneceu carisma e dinheiro à Al-Qaeda, mas Al-Zawahri trouxe capacidade tática e habilidades organizacionais necessárias para criar militantes numa rede de células em países de todo o mundo.

Recomendadas

Julgamento por fraude fiscal contra Trump Organization agendado para outubro

O julgamento por suposta fraude fiscal contra a Trump Organization e o seu ex-diretor financeiro Allen Weisselberg começará em 24 de outubro, decidiu esta sexta-feira um juiz de Nova Iorque, rejeitando arquivar o caso, segundo a imprensa local.

Irão aceitará Acordo Nuclear mediante compromissos

Fonte não identificada afirmou que o último relatório com propostas apresentado pela União Europeia é “aceitável”, mas com algumas garantias, nomeadamente no que tem a ver com sanções e controlo do plano nuclear.

Venezuela e Colômbia iniciam normalização das relações

Os dois países vão trocar embaixadores na tentativa de restabelecer laços que se perderam há mais de três anos e que a vitória de Gustavo Petro nas presidenciais colombianas permitiu.
Comentários