“Estamos a trabalhar com a APB” soluções para mitigar subida de juros na habitação, disse Costa (com áudio)

Numa entrevista esta segunda-feira, o primeiro-ministro admitiu estar a analisar e disse que “é provável” que venha a haver apoios para ajudar as famílias que têm créditos à habitação, face à escalada dos juros, mas disse ser necessário aguardar para ver se “as partes encontram boas soluções”.

António Pedro Santos/Lusa

Numa entrevista esta segunda-feira, o primeiro-ministro admitiu estar a analisar e disse que “é provável” que venha a haver apoios para ajudar as famílias que têm créditos à habitação, face à escalada dos juros, mas disse ser necessário aguardar para ver se “as partes encontram boas soluções”, que podem passar por moratórias, renegociação de créditos, reescalonamento e diferimento de pagamentos ou até voltar a permitir a dedução dos juros do crédito em sede de IRS.

“Estamos a trabalhar com a Associação Portuguesa de Bancos para ver como é que a situação vai evoluir”, recusando-se a antecipar mais detalhes. “Não vale a pena fechar ou antecipar medidas, não vale a pena dar incentivos errados”, afirmou António Costa.

“Uma grande contribuição que o Estado pode dar para que não haja uma grande subida da taxa de juro é conseguir manter a trajetória de redução da nossa própria dívida, que foi revalorizada por duas agências de rating”, frisou ainda.

Já o ministro das Finanças tinha dito que, perante a subida das taxas de juros e o consequente impacto nos orçamentos das famílias com o aumento dos créditos à habitação, o Governo iria estudar medidas para ajudar os portugueses, mas não se comprometeu com os juros a abaterem o IRS.

“Já sublinhei a importância da redução da dívida pública e termos as contas certas”, disse Fernando Medina. O ministro referiu ainda o tempo das moratórias no período da pandemia, destacando que foi um acordo europeu e que não “envolveu a força orçamental.”

Na semana passada, o primeiro-ministro apresentou um pacote de oito medidas, avaliado em 2,4 mil milhões de euros, dirigido às famílias, por forma a atenuar o impacto da escala dos preços.

O chefe do Governo anunciou ainda que, depois de o executivo ter aprovado “um pacote muito forte de apoio às famílias”, irá anunciar na próxima quinta-feira medidas para as empresas, que não quis antecipar.

Relacionadas

Costa indica referencial de inflação de 7,4% em 2022 mas rejeita aumentos nesta proporção

O primeiro-ministro afirmou esta segunda-feira que o Governo está a trabalhar com um referencial de inflação em 2022 de 7,4%, mas rejeitou um aumento dos salários da administração pública da mesma proporção.

Governo anuncia medidas para empresas na quinta-feira e não decidiu sobre lucros excessivos (com áudio)

“Não tomámos ainda decisões (…) Não excluímos nem decidimos”, afirmou António Costa, quando questionado sobre a possibilidade de o Governo vir a taxar os lucros extraordinários de alguns sectores, em entrevista à TVI/CNN.

António Costa diz que “em 2023 os pensionistas conseguirão repor o seu poder de compra”

“No próximo dia 8 outubro, todos os pensionistas da Segurança Social receberão pensão e meia. No dia 19 de outubro, todos os pensionistas da Caixa Geral de Aposentações recebem pensão e meia”, disse o primeiro-ministro em entrevista à TVI/CNN, em que recusa que haja suplementos extraordinários para os pensionistas que sejam inferiores aos 125 euros.
Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

Banco de Portugal mantém a zero a exigência aos bancos de um “reserva contracíclica de fundos próprios”

O Banco de Portugal revelou o tradicional comunicado sobre a reserva contracíclica de fundos próprios, desta vez relativa ao 4.º trimestre de 2022. O supervisor vai manter a dispensa de constituição de reserva contracíclica para a banca no quatro trimestre deste ano, à semelhança do que sucedeu nos anteriores.

Merlin Properties compra sede do Novobanco na Avenida da Liberdade por 112 milhões

A informação do comprador foi confirmada pela entidade bancária esta sexta-feira em comunicado, depois de já ter avançado com o valor do negócio nas últimas semanas.
Comentários