Estão abertas 143 vagas para formar farmacêuticos especialistas

O Ministério da Saúde considera que cumpre “um compromisso com a classe profissional dos farmacêuticos, avançado num caminho que contribuirá para aumentar a formação dos profissionais.

O mapa de vagas do primeiro concurso de acesso à residência farmacêutica foi publicado, esta sexta-feira, em Diário da República. O programa de formação pós-graduada de farmacêuticos vai arrancar no próximo ano.

Assim, o Ministério da Saúde assinala, em comunicado, “a abertura de 143 vagas, a maioria no Serviço Nacional de Saúde, no que constitui um marco histórico na diferenciação da profissão de farmacêutico”.

“O Governo cumpre assim um compromisso estabelecido com esta classe profissional, avançando num caminho que contribuirá para aumentar a formação dos profissionais e a qualificação dos cuidados prestados à população”, aponta o Ministério.

Quanto à Residência Farmacêutica, o Governo indica que se destina “a três áreas de exercício profissional – Farmácia Hospitalar, Análises Clínicas e Genética Humana – dimensões centrais na atividade farmacêutica hospitalar e que terão também, desta forma, um papel reforçado”.

“Neste primeiro concurso, neste momento a decorrer, são disponibilizadas 92 vagas na área de Farmácia Hospitalar, 45 vagas na área de Análises Clínicas e 6 vagas na área de Genética Humana. Além das vagas abertas em contexto hospitalar, são abertas oito vagas no Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, laboratório nacional de referência, nas áreas de Genética Humana e Análises Clínicas”, refere o Governo.

 

Recomendadas

Pelo menos 90% da população mundial adquiriu imunidade contra a covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estimou hoje que pelo menos 90% da população global adquiriu imunidade contra a covid-19, através de uma infeção ou da vacinação.

OMS alerta para risco acrescido de morte prematura das pessoas com deficiência

As pessoas com deficiência têm um risco mais elevado de morte prematura, de até 20 anos em relação à média da população, devido a dificuldades de acesso à saúde, alertou hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Proposta do Chega para criar comissão de inquérito à gestão da pandemia será chumbada (com áudio)

Instrumentalização e banalização de comissões parlamentares de inquérito, esbanjamento de recursos, descredibilização de consensos e criação de ‘soundbite’ são as acusações dirigidas por PS, PAN e Livre ao Chega. Desde o início da legislatura, o partido já propôs cinco comissões parlamentares de inquérito, todas rejeitadas. O dia de hoje contribuirá para a tendência.
Comentários