Estas são as cidades mais caras do mundo para expatriados

O estudo da ECA International, que teve em consideração o conflito no leste europeu e as consequências económicas daí resultantes, comparou o custo de vida para expatriados através de uma análise detalhada aos bens de consumo e serviços em mais de 490 locais em todo o mundo.

Hong Kong é a cidade mais cara do mundo para se viver como expatriado pelo segundo ano consecutivo, de acordo com o estudo realizado pela ECA International. Nova Iorque e Genebra ocupam os restantes lugares do pódio, respetivamente.

O estudo da ECA International, que teve em consideração o conflito no leste europeu e as consequências económicas daí resultantes, comparou o custo de vida para expatriados através de uma análise detalhada aos bens de consumo e serviços em mais de 490 locais em todo o mundo, tendo também em consideração o preço das rendas dos respetivos locais.

O aumento dos custos das rendas foi parte da razão pela qual Londres e Nova Iorque ocuparam as suas posições entre os cinco primeiros, com aumentos de 20% e 12% dos custos de aluguer, respetivamente.

Noutra parte do relatório sobre o custo de vida, Singapura ocupa o 13º lugar, apesar dos aumentos significativos nas rendas, preços da gasolina e serviços públicos. Esses foram compensados ​​pelo enfraquecimento do dólar de Singapura em relação a outras moedas regionais durante a última parte do período da análise, disse a ECA.

Outra das conclusões diz respeito às cidades japonesas, que caíram na classificação com o enfraquecimento do iene, enquanto as cidades chinesas subiram – com Xangai e Guangzhou a ocuparem a 8ª e a 9ª posições, respetivamente.

No fim da lista, como cidade mais barata do mundo para expatriados, surge Ancara (Turquia), que caiu cinco posições ocupando agora o 207º lugar.

“Embora Hong Kong tenha sido menos impactado pelo aumento da inflação global do que outros locais regionais e globais no ano passado, ainda assim continua a ser o local mais caro do mundo”, afirmou o diretor regional da ECA International para a Ásia, Lee Quane.

O responsável acrescenta que foi a “força do dólar de Hong Kong, que está atrelado ao dólar norte-americano, que permitiu manter a sua posição como o local mais caro do mundo, pois outras moedas enfraqueceram”.

Estas são as 20 cidades mais caras do mundo para expatriados:

  • Hong Kong
  • Nova Iorque, EUA
  • Genebra, Suíça
  • Londres, Reino Unido
  • Tóquio, Japão
  • Tel Aviv, Israel
  • Zurique, Suíça
  • Shanghai, China
  • Guangzhou, China
  • Seul, Coreia do Sul
  • São Francisco, EUA
  • Shenzhen, China
  • Singapura
  • Pequim, China
  • Jerusalém, Israel
  • Berna, Suíça
  • Yokohama, Japão
  • Copenhaga, Dinamarca
  • Oslo, Noruega
  • Taipei, Taiwan
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

China regista novos casos de Covid-19 e gera preocupações para a economia global

A rígida política ‘Covid zero’ do governo chinês tem levado a confinamentos que castigaram a economia global na primeira metade do ano, uma possibilidade que se volta a levantar perante a subida de casos na segunda maior economia mundial.

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

Boris Johnson debaixo de fogo por escândalo sexual no partido, quem pode substituir o primeiro-ministro britânico, a Ucrânia não consegue exportar os seus cereais são alguns dos temas em destaque nos meios internacionais.
Comentários