“Este Governo vai ser avaliado em função da TAP”. Veja a entrevista do JE a Miguel Relvas

A gestão da TAP deverá determinar aquele que será o destino deste Governo. A convicção é de Miguel Relvas em entrevista ao JE. O antigo ministro no Governo de Pedro Passos Coelho aborda ainda os desafios da oposição, nomeadamente do PSD, e se o Chega é um obstáculo para que Luís Montenegro seja visto como alternativa. Nesta entrevista, Miguel Relvas tece críticas duras a Marcelo Rebelo de Sousa a quem acusa de alimentar a sua popularidade com um discurso populista.

Relacionadas

Premium“Novo aeroporto? Digam-nos de quem são os terrenos de Alcochete”

Governo criou “problema central” ao nacionalizar TAP e será avaliado em função disso, diz ex-ministro de Passos Coelho. Novo aeroporto não é necessário e falta transparência. Pedro Nuno Santos devia ter exigido obras na Portela durante pandemia mas “vacilou” face à Vinci, afirma.

Premium“PSD tem de fazer tudo para não depender do Chega”

Miguel Relvas defende que o PSD deve fazer o seu caminho sem se condicionar por André Ventura, que, diz, é usado como “papão” pela esquerda. Exemplo dos Açores mostra que entendimentos são possíveis, diz.

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.
Recomendadas

Chelsea e o cheque de 612 milhões: o “fair-play” da UEFA é uma treta? Veja o “Jogo Económico

Será o “fair-play” financeiro da UEFA para levar a sério? Só o Chelsea gastou mais dinheiro em janeiro do que todos os clubes na Bundesliga, La Liga, Serie A e Ligue 1 e esta época, os “blues” investiram 612 milhões de euros. Luís Cassiano Neves, sócio fundador da 14 Sports Law, é o convidado desta edição.

“Recessão? Não me espantaria que não houvesse”. Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio.

“Não vejo as fintech como uma grande ameaça à banca”. Veja a entrevista ao CEO da Nickel, Thomas Courtois

A Nickel quer abrir 2.500 balcões e alcançar 450 mil clientes em Portugal nos próximos cinco anos, mas o CEO da fintech francesa não se compromete a manter a anuidade de 20,80 para sempre. A crise na banca abriu a porta a novos players, mas coexistência é possível, diz em entrevista à JE TV.
Comentários