Estoril-Sol pode perder a concessão jogo no Casino Estoril

Há duas propostas para a concessão da exploração da zona de jogo do Casino Estoril, a do actual concessionário (Estoril-Sol) e a de um outro grupo estrangeiro que oferece um valor superior ao do grupo liderado por Mário Assis Ferreira.

Há duas propostas para a concessão da exploração da zona de jogo do Casino Estoril, a do actual concessionário (Estoril-Sol) e a de um outro grupo estrangeiro que oferece um valor superior ao do grupo liderado por Mário Assis Ferreira.

“Na sequência do anúncio do concurso público internacional para atribuição da concessão da zona de Jogo do Estoril, publicado no Diário da República de 19 de Agosto de 2022”, a Estoril-Sol SGPS informou o mercado que hoje, dia 3 de Outubro, o júri do concurso procedeu à publicação da lista de propostas, verificando-se que há duas propostas submetidas na plataforma electrónica do concurso.

“Mais se informa, que a proposta concorrente apresenta, na sua globalidade, um valor superior ao da proposta apresentada pela nossa subsidiária a Estoril Sol (III)  e que, irão decorrer agora os prazos para que o júri
analise e avalie as propostas apresentadas”, lê-se no comunicado publicado no site da CMVM.

A Estoril-Sol é a concessionária do jogo no Casino do Estoril e no Casino Lisboa.

Recomendadas

Fitch Rating antecipa ano desastroso para o sector imobiliário

Os países que preferiram as taxas variáveis e permitiram um forte aumento do preço das casas estão especialmente vulneráveis à inflação e à queda da procura. Portugal não faz parte do estudo, mas tem tudo para fazer parte do pior cenário.

Revolut nomeia Elisabet Girvent para responsável de vendas em Espanha e Portugal

O seu objetivo passa por continuar a expandir os serviços da Revolut Business na região. A Revolut Business é o serviço bancário empresarial da Revolut. Esta solução encontra-se em funcionamento desde 2017 e foi concebida para atender às necessidades de start-ups, PME familiares e grandes empresas tecnológicas.

Noção de mercados emergentes na banca está morta, diz Mckinsey. Ásia concentra crescimento

Os bancos na Ásia-Pacífico podem ganhar com uma perspectiva macroeconómica mais forte, enquanto que os bancos europeus enfrentam uma perspectiva mais sombria. “No caso de uma longa recessão, estimamos que a rendibilidade dos bancos a nível mundial possa cair para 7% até 2026 e para baixo dos 6% nos bancos europeus”, diz a Mckinsey.
Comentários