Estrangeiros que comecem a trabalhar em Portugal podem ter número de segurança social na hora

De acordo com uma nota de imprensa do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, a partir de 02 de janeiro, todos os cidadãos estrangeiros residentes em Portugal, que pretendam iniciar a sua atividade profissional passam a ter acesso ao serviço “NISS NA HORA”.

Os cidadãos estrangeiros residentes em Portugal, que vão iniciar uma atividade profissional, podem, a partir de 02 de janeiro, aceder ao número de identificação da segurança social de forma imediata, foi hoje anunciado.

De acordo com uma nota de imprensa do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, a partir de 02 de janeiro, todos os cidadãos estrangeiros residentes em Portugal, que pretendam iniciar a sua atividade profissional passam a ter acesso ao serviço “NISS NA HORA”.

“A medida de atribuição no momento do Número de Identificação da Segurança Social é implementada com o objetivo de tornar o registo de cidadãos estrangeiros no sistema da Segurança Social de uma forma mais rápida e simples, agilizando a simplificação dos processos”, diz o comunicado.

A atribuição do “NISS NA HORA” é direcionada a cidadãos e a entidades empregadoras, estando disponível em 100 serviços de atendimento em todo o país, tanto nas sedes de cada Centro Distrital da Segurança Social como nos Serviços Locais de Atendimento.

Ao longo do ano de 2019, inscreveram-se na Segurança Social cerca de 160 mil dos 480 mil estrangeiros residentes no país.

Recomendadas

Proteção Civil avisa para cheias e inundações no sul do país até segunda-feira

Para segunda-feira, as previsões são de “períodos de chuva ou aguaceiros, mais frequentes e intensos na região Sul, com possibilidade de ocorrência de trovoada” e “vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, sendo moderado a forte (30 a 40 km/h) do quadrante sul na região Sul até ao meio tarde, e nas terras altas, com rajadas até 70 km/h”.

Covid-19. França não descarta regresso da máscara e apela à vacinação

O ministro francês da Saúde, François Braun, garantiu este domingo não descartar o regresso da obrigatoriedade do uso de máscara, face ao aumento do número de infetados por Covid-19, e apelou à vacinação.

Associação Zero: Legislação de proteção dos solos está “na gaveta” há sete anos

De acordo com a nota de imprensa, um estudo da Agência Portuguesa do Ambiente, de 2017, concluiu que o país “ganharia cerca de 25 milhões de euros em seis anos, em resultado da publicação do ProSolos, aos quais se acrescentariam ganhos ambientais e na saúde pública”.
Comentários