PremiumEstratégia de preços da TAP arrisca desviar turistas para fora de Lisboa e Porto

Em muitos voos, a TAP está a cobrar mais quando o destino final é Lisboa ou Porto do que quando as duas cidades são utilizadas como “stopover” para outros destinos. Estratégia está a afastar turistas, criticam especialistas do sector.

Imagine que quer voar de Nova Iorque para Lisboa e escolhe a TAP. Agora imagine que lhe custa mais voar “apenas” até ao aeroporto Humberto Delgado do que se tiver um voo para Madrid ou para Valência nas horas seguintes. De acordo com o especialista Pedro Castro, fundador da SkyExpert, é isto que está a acontecer.

Para o responsável da empresa portuguesa de consultadoria estratégica para transporte aéreo e aeroportos, o facto de a TAP manter uma estratégia de hub é um problema para o futuro sustentável, especialmente quando revisitamos a promessa realizada pelo Governo português de que a companhia aérea de bandeira é essencial para o turismo português.

“Aquilo que o Governo nos vende para esta injeção é que a TAP é essencial para o turismo de Portugal. Ou seja, sem a TAP vai-nos faltar turistas”, considerou Pedro Castro ao Jornal Económico (JE). “Apesar de nos dizerem que a TAP é fundamental para o turismo em Portugal, quando vemos os preços verificamos que não é isso que está a acontecer”, afirma.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.

Empresa aeronáutica prevê 6 milhões para começar a produzir aviões em Cabo Verde

“Venho elaborando este projeto já há dois anos, criei a empresa Aeronáutica Checo-Cabo-verdiana, empresa que irá produzir os aviões da Orlican e Air Craft Industries em Cabo Verde”, afirma Mónica Sofia Duarte.

BPI e FCT financiam 20 projetos e nove ideias para o desenvolvimento sustentável no Interior

A edição de 2022 do Programa Promove, uma iniciativa da Fundação “la Caixa”, em colaboração com o BPI e em parceria com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), concedeu apoios a fundo perdido de perto de 3,6 milhões a um total de 20 projetos e nove ideias destinados a impulsionar o desenvolvimento sustentável de regiões do interior de Portugal.
Comentários