Estudo aponta que mais de metade dos portugueses estão preocupados com o futuro da economia

Por regiões, os inquiridos residentes na região de Lisboa (67%) são aqueles que se mostram mais preocupados com a situação económica futura.

Um estudo do Observador Cetelem concluiu que a maioria dos portugueses está preocupado com o futuro da economia portuguesa.

Segundo os resultados do estudo “Consumo em tempos de inflação”, 59% dos participantes admitiu estar preocupado com o futuro da economia do país. Este sentimento é mais acentuado entre os inquiridos nas faixas etárias entre os 55-64 anos e os 65-74 anos (64%).

Por regiões, os inquiridos residentes na região de Lisboa (67%) são aqueles que se mostram mais preocupados com a situação económica futura. No entanto, no Porto, também uma maioria (58%) revelou preocupação.

A segunda fonte de aflição dos portugueses é o poder de compra (57%) e, neste segmento, são os indivíduos de 24 anos os menos preocupados.

Em terceiro lugar seguem-se as desigualdades sociais (53%) e a situação internacional de crises e guerra (53%), às quais se soma a preocupação com a sua saúde pessoal no caso dos inquiridos com mais de 65 anos (58%).

Na quinta posição da tabela está o futuro do planeta (51%), sendo esta a segunda maior fonte de preocupação entre os residentes na região Sul (59%).

O estudo do Observador Cetelem também aponta que 35% dos portugueses inquiridos manifestam uma opinião negativa quanto à situação atual do País, tendo piorado face a outubro de 2021, quando 22% consideravam o momento atual negativo.

Geograficamente, os portugueses que vivem na região Norte são os mais positivos face à sua situação pessoal (35%), seguindo-se os residentes da zona Centro (28%) e da zona Sul do país (26%).

O estudo teve por base uma amostra representativa de 1000 indivíduos residentes em Portugal Continental, com idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos de idade.

 

 

Recomendadas

Operação Marquês. Conselho da Magistratura conclui que substituição “não viola princípio do juiz natural”

O Conselho Superior da Magistratura esclareceu hoje, acerca das críticas do ex-primeiro-ministro José Sócrates, que a substituição da juíza do processo separado da Operação Marquês, através do movimento de magistrados, “não viola o princípio do juiz natural”.

Espanha agrava impostos sobre lucros de petrolíferas e elétricas em 2023

Espanha vai avançar com o agravamento de impostos sobre os lucros das empresas energéticas, atendendo à subida dos preços, anunciou este sábado o primeiro-ministro Pedro Sánchez.

Espanha destina mais nove mil milhões até final do ano para responder a subida de preços

O governo espanhol aprovou este sábado um novo plano para responder ao impacto da guerra na Ucrânia na economia e ao aumento dos preços, no valor de nove mil milhões de euros até ao final do ano.
Comentários