PremiumEstudo considera guerra como o dínamo para uma tempestade perfeita

Instituto sueco SIPRIconsidera que a guerra na Ucrânia pode exacerbar os riscos da emergência climática, da fome e do aumento da desigualdade no mundo, resultando numa maior insegurança global. Continente africano está especialmente exposto.

António Guterres, secretário-geral da ONU, chama-lhe “a tempestade perfeita”: os riscos ambientais que se acumularam nas últimas décadas, as metástases da pandemia sanitária, os problemas nunca resolvidos da fome e da desigualdade planetária, que têm, agora, na guerra da Ucrânia, um dínamo que potencia os seus aspetos mais funestos.

Esta é também a conclusão do último estudo do Instituto Internacional de Investigação para a Paz de Estocolmo (SIPRI, na sigla em inglês), que, apesar de tudo, considera que ainda há tempo para o resgate.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Covid-19: Mais de 400 mil idosos receberam segunda dose de reforço

“De acordo com os dados registados até ao final do dia de ontem [terça-feira], já tinham sido vacinadas cerca de 407 mil pessoas, tendo sido já visitadas todas as Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI) elegíveis”, adiantou a DGS em comunicado.

Covid-19. Média de infeções baixa para os 10.080 casos diários

A média de infeções voltou a diminuir para os 10.080 casos diários em Portugal, mas o índice de transmissibilidade (Rt) do vírus que provoca a covid-19 subiu ligeiramente de 0,86 para 0,92, anunciou esta quarta-feira o INSA.

Madeira teve 14.730 casos de Covid-19 e 55 mortes em junho

Desde o início da pandemia, a região confirma até ao final do mês de junho 132.614 casos por Covid-19 e 340 óbitos (que correspondem a 0,3% do total de casos confirmados). Os recuperados ascenderam a 130.184. Foram realizados 2792.255 testes à Covid-19.
Comentários