Etiópia: Primeira coluna de ajuda médica da Cruz Vermelha chegou à capital do Tigray

Uma coluna com ajuda médica, a primeira desde o final de agosto, chegou hoje à capital do Tigray, província do norte de Etiópia, em resultado do acordo de paz do início de novembro, anunciou a Cruz Vermelha Internacional (CICV).

“Os primeiros suprimentos médicos do Comité Internacional da Cruz Vermelha [CICV] acabaram de chegar a Mekelle por estrada”, anunciou Jude Fuhnwi, porta-voz daquela organização humanitária na Etiópia, citado pela AFP.

Após cinco meses de tréguas, o reinício dos combates no final de agosto entre as autoridades rebeldes do Tigray e o exército federal e aliados interrompeu a maior parte da entrega de ajuda humanitária – já em grande parte insuficiente – à região.

Dois “camiões entregaram 40 toneladas de equipamentos médicos essenciais, medicamentos de emergência e equipamentos cirúrgicos” a unidades de saúde da região “para tratar os casos mais urgentes”, especifica o CICV num comunicado à imprensa.

“Embora algumas unidades de saúde no Tigray já não estejam a funcionar, as que ainda estão abertas carecem de medicamentos e equipamentos básicos, além de outros suprimentos essenciais”, acrescentou a organização.

“O CICV espera continuar essas entregas regularmente e aumentar significativamente a resposta humanitária no Tigray”, cujos seis milhões de habitantes estão privados de alimentos e remédios há mais de um ano.

O governo etíope e as autoridades rebeldes de Tigray assinaram um acordo de paz em 02 de novembro em Pretória que deve pôr fim a dois anos de guerra no norte da Etiópia.

Os líderes militares dos dois campos também rubricaram no sábado um documento que aplica as disposições do acordo, em particular o desarmamento dos rebeldes e a entrega de ajuda humanitária a Tigray.

Recomendadas

Erdogan pede ao islão para se envolver na Síria

Recep Erdogan está a fazer todos os esforços para escorar a sua eminente entrada na Síria para perseguir os curdos, que considera terroristas. E quer acomodar essa vontade nos interesses do mundo muçulmano.

Governo alemão defende plano para flexibilizar regras de cidadania

O governo alemão delineou planos para reduzir de oito para cinco o número máximo de anos que uma pessoa deve esperar antes de se tornar cidadã.

União Europeia apela ao fim do bloqueio no Montenegro

O Parlamento retirou competências à presidência e transferiu-as para a assembleia, dominada por uma coligação de partidos de tendência claramente pró-Rússia. A adesão do país à União Europeia está por isso comprometida.
Comentários