“Eu não quero fazer cócegas ao sistema, eu quero mudar Portugal”, afirma Rui Rocha

“Eu não quero fazer cócegas ao sistema, eu quero mudar Portugal. Nós vamos mudar Portugal”, comprometeu-se Rui Rocha, que está na corrida à liderança da Iniciativa Liberal.

O candidato à liderança da Iniciativa Liberal (IL), Rui Rocha, disse hoje que não quer “fazer cócegas ao sistema”, mas sim “mudar Portugal”, traçando como objetivo “romper o bipartidarismo”, assegurando que o partido sairá unido da convenção independentemente do resultado.

No período de apresentação da moção de estratégia global que a sua lista, a L, apresenta à VII Convenção da IL, Rui Rocha defendeu que para acabar com o bipartidarismo instalado em Portugal é preciso “ser ambicioso” e para isso “não basta ser a terceiro força politica”, precisando de um resultado eleitoral expressivo.

“Eu não quero fazer cócegas ao sistema, eu quero mudar Portugal. Nós vamos mudar Portugal”, comprometeu-se. O candidato assegurou que os liberais vão “sair unidos desta extraordinária convenção, seja qual for o resultado”.

Decorre este fim de semana a VII Convenção Nacional da IL em Lisboa, no âmbito da qual será eleito o sucessor de João Cotrim Figueiredo na liderança do partido.

Assim, ainda este sábado, João Cotrim Figueiredo despediu-se da liderança da IL, garantindo sair com “sentimento de dever cumprido”. Aproveitou, além disso, para deixar um recado ao primeiro-ministro, António Costa: o partido “vai continuar a dar bons motivos para se irritar: Habitue-se”.

Relacionadas

“A IL está aqui para continuar a dar motivos para irritar Costa. Habitue-se”

João Cotrim Figueiredo deixa a liderança da Iniciativa Liberal, deixando críticas a António Costa, ao ministro das Finanças, Fernando Medina, mas também a Pedro Nuno Santos.
João Cotrim de Figueiredo

Reunião magna para escolher quarto líder liberal começa hoje em Lisboa

Cerca de 2.300 membros – de um universo de seis mil – inscreveram-se para esta reunião magna de dois dias que decorre no Centro de Congressos de Lisboa. Serão estes militantes liberais que vão eleger os órgãos nacionais do partido no domingo, entre o quais a comissão executiva e, consequentemente, o novo presidente da Iniciativa Liberal.
Recomendadas

BE vai centrar “boa parte” da sua atividade no problema transversal da habitação

“Tenho ouvido alguns argumentos sobre a constitucionalidade desta medida que partem de um pressuposto errado que é de que o BE discrimina em função da nacionalidade. Não. O que o BE faz é garantir que quem trabalha em Portugal possa ter acesso à habitação”, explicou.

Catarina Martins contra “Estado pessoa de bem” apenas para a “elite do privilégio”

“Não posso deixar de assinalar a frase muito infeliz do ministro João Galamba ao dizer que, como o Estado é uma pessoa de bem, teria de manter os prémios milionários na TAP”, criticou, em declarações aos jornalistas, Catarina Martins.

Convenção Nacional do BE marcada para 27 e 28 de maio em Lisboa

No rescaldo dos maus resultados eleitorais das últimas legislativas, nas quais o BE deixou de ser a terceira força política, perdeu metade dos votos e ficou reduzido a cinco deputados, a oposição interna chegou a pedir a antecipação da convenção nacional, mas esta vai ter o seu calendário habitual, ou seja, realiza-se com dois anos de intervalo.
Comentários