“Eu nunca percebi o vento”, a confissão de Donald Trump sobre as turbinas de vento

Donald Trump voltou a criticar a energia eólica, desta vez, acusando estas máquinas de não só matarem as águas, como também de emitirem gases poluentes para a atmosfera. “Falam em pegada carbónica, mas existem gases e fumos a serem descarregados para o ar”. 

Como forma de sinalizar, mais uma vez, o seu ceticismo face às energias renováveis, Donald Trump deixou uma critica aos democratas e às politicas ambientalistas que apoiam, nomeadamente o Green New Deal. 

Perante um público de estudantes conservadores, durante o evento Turning Point EUA, na Florida, o presidente norte-americano descartou o valor dos moinhos de vento como alternativa às energias fósseis e fez uma confissão: “Eu nunca percebi o vento. Conheço bem os moinhos de vento, estudei-os melhor do que qualquer um”, explicou acrescentando ter noção de que são fabricados principalmente na China e na Alemanha.

Porém, deixou uma ressalva ambiental nunca antes ouvida: “Estes moinhos fabricam tremendos vapores e gases que são lançados na atmosfera,” continuou. “Falam em pegada carbónica, mas existem gases e fumos a serem descarregados para o ar”.

Apesar de Trump estar certo em relação ao fabrico de turbinas na Alemanha e China, as suas criticas referentes às emissões de carbono produzidas durante a fabricação de turbinas não são verdade.  Numa pesquisa publicada pela American Wind Energy Association, concluiu-se que em 2018 a eletricidade gerada a partir de turbinas eólicas evitou cerca de 200 milhões de toneladas de poluição de carbono.

O presidente também voltou a repetir uma das suas teorias relacionadas com a energia eólica, repetindo alegações exageradas sobre a ameaça que as turbinas representam para as águias. “Querem ver um cemitério de pássaros? Basta olharem para baixo de um moinho de vento”, disse.

“Um moinho de vento mata muitas águias”, acrescentou, referindo-se às águias mortas por turbinas eólicas na Califórnia .

“Depois de um certo número, eles obrigam-vos a desligar o moinho de vento, isso é verdade. E, no entanto, se matas um, eles mandam-te para a cadeia. Está bem. Mas por que é que os moinhos de vento estão em condições de destruir a população de aves?”, questionou.

No entanto, a preocupação de Trump com as turbinas eólicas não corresponde à ameaça que elas representam para os pássaros.

Embora cerca de 150 mil aves sejam atingidas a cada ano por turbinas nos EUA, de acordo com um estudo publicado pela revista Energy Policy, esse número enfraquece em comparação com o número de aves mortas por animais domésticos. Um inquérito de 2013 estimou que até 3,7 mil milhões de aves são mortas anualmente por gatos domésticos.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

Prémio Nobel da Literatura atribuído à escritora francesa Annie Ernaux

A Academia Sueca galardoou a autora pela “coragem e acuidade clínica com que descortina as raízes, os estranhamentos e os constrangimentos coletivos da memória pessoal”.

Brasil: Vitória de Lula da Silva não está assegurada. Veja a “A Arte da Guerra”

As eleições no Brasil e na Bulgária e ainda o desfecho dos primeiros passos da primeira-ministra britânica, Liz Truss. Tudo para ver esta semana em ‘A Arte da Guerra’, da plataforma JE TV, um programa conduzido pelo jornalista António Freitas de Sousa e com os comentários do embaixador Francisco Seixas da Costa.
Comentários