EUA alertam para possibilidade de atentados na Europa no Natal e Ano Novo

O Governo dos Estados Unidos emitiu hoje um alerta de viagem para os seus cidadãos relativo a risco “acentuado” de ataques terroristas em toda a Europa “em particular durante a temporada de festas” do Natal.

“Informação credível indica que o grupo extremista Estado Islâmico, Al Qaida e seus apoiantes continuam a planear ataques terroristas na Europa, centrando-se na temporada das festas de Natal e acontecimentos associados”, refere o alerta de viagem, emitido pelo Departamento de Estado norte-americano.

Segundo o alerta, os cidadãos norte-americanos devem ser cautelosos em festas e mercados ao ar livre devido à possibilidade de “extremistas e seus simpatizantes” realizarem ataques.

“Os terroristas podem utilizar várias táticas e usar tanto armas convencionais, como não convencionais, e atacar tanto objetivos oficiais, como privados”, acrescenta.

O alerta de viagem, que vai estar em vigor até 20 de fevereiro de 2017, é a última de uma série de advertências que os Estados Unidos fizeram durante este ano aos seus cidadãos sobre o risco de viajar para a Europa, especialmente depois dos ataques terroristas de Paris, em novembro de 2015.

Recomendadas

Bruxelas quer que plataformas passem a cobrar IVA para evitar concorrência desleal

De acordo com as atuais regras de IVA, são os próprios prestadores de serviço – sejam motoristas ou donos de alojamento local – que são obrigados a coletar o IVA e a remiti-lo para as autoridades tributárias do seu país.

Alemanha e França condenam regime iraniano pela execução de manifestante

Este homem, Mohsen Shekari, “foi julgado e executado num julgamento pérfido e precipitado, porque não concordava com o regime”, declarou a chefe da diplomacia alemã, acrescentando que a ameaça de execução “não sufocará a vontade de liberdade das pessoas”.

Xi Jinping em viagem histórica à Arábia Saudita

O presidente chinês estará três dias na Arábia Saudita, com o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman a promover o encontro de forma bem mais festiva que aquela que reservou para o presidente dos Estados Unidos em julho passado.
Comentários