EUA: Contagem de votos fechada. Clinton com mais dois milhões que Trump

A candidata presidencial democrata Hillary Clinton obteve mais dois milhões de votos do que o seu rival republicano, Donald Trump, apesar de este ter ganho as eleições presidenciais pela maioria no colégio eleitoral.

Charles Mostoller/Jonathan Ernst/Reuters

Este avanço no voto popular, correspondente a mais 1,5 pontos percentuais, de Clinton, segundo os peritos dos Cook Political Report, não muda nada ao resultado da eleição, que vai ser feita em escrutínio indireto a uma volta.

Hillary Clinton recolheu 64.227.373 votos contra 62.212.752 para Donald Trump, segundo os últimos números compilados de fonte oficial pelo Cook Political Report, divulgadas hoje.

Trump conseguiu 290 grandes eleitores contra 232 da democrata, que já reconheceu a derrota. Para vencer esta eleição são precisos 270 dos 538 que estavam em jogo.

Esta foi a segunda vez no século XXI que um candidato democrata consegue o maior número de votos, mas perde as eleições.

Em 2000, o vice-Presidente Al Gore perdeu perante George W. Bush, apesar de ter mais 544 mil votos do que este.

Nos EUA, a eleição presidencial é decidida pelos grandes eleitores, eleitos em cada um dos 50 Estados da União, em função da população.

Recomendadas

Justiça espanhola arquiva investigação sobre morte de José Eduardo dos Santos

A justiça espanhola arquivou a investigação sobre a morte do ex-presidente de Angola José Eduardo dos Santos, confirmando que se deveu a causas naturais, segundo uma decisão de um tribunal de Barcelona divulgada hoje.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Banco Mundial revê crescimento da África subsaariana em baixa para 3,3% este ano

“Os ventos contrários globais estão a abrandar o crescimento económico africano, com os países a continuarem a lidar com a subida da inflação e as dificuldades no progresso na redução da pobreza”, lê-se no relatório Pulsar de África, hoje divulgado em Washington, nas vésperas dos Encontros Anuais do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI).
Comentários