EUA mais perto de aprovar vacina da Moderna

A vacina da Moderna utiliza a tecnologia de RNA mensageiro, o mesmo método que a Pfizer, a primeira vacina a receber autorização da FDA

Um comité consultivo da Food and Drug Administration (FDA) dos EUA recomendou que a agência Federal do Departamento de Saúde autorizasse uma segunda vacina Covid-19, desenvolvida pela Moderna e pelo Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infeciosas (NIAID), segundo o “The Guardian”.

A recomendação abre caminho para que a FDA dê aprovação de emergência para uma segunda vacina ser usada nos EUA. Essa aprovação pode chegar até o final da semana. Uma análise da FDA concluiu que a vacina da Moderna é mais de 94% eficaz na prevenção da Covid-19 num estudo com mais de 30.000 participantes.

A proposta vem do Comité Consultivo de Vacinas do Centro de Avaliação e Pesquisa da FDA, um painel independente de especialistas que na semana passada sugeriu que a agência autorizasse uma vacina desenvolvida pela Pfizer / BioNTech.

“Estamos a falar de uma pandemia na qual realmente precisamos avançar”, apontou Steven Pergam, membro do conselho e especialista em doenças infeciosas da Seattle Cancer Care Alliance.

A vacina Pfizer foi a primeira a receber autorização pela FDA para prevenir a Covid-19 nos EUA. Antes dos americanos, o Reino Unido e Canadá também autorizaram esta vacina. Embora a FDA nem sempre siga o conselho de seus comités de especialistas, espera-se que a agência autorize rapidamente a vacina Moderna para uso de emergência

Tal como a Pfizer, a vacina desenvolvida pela Moderna para prevenir a Covid-19 usa tecnologia de RNA mensageiro. A aprovação emergencial de uma segunda vacina colocaria os Estados Unidos no caminho para potencialmente imunizar até 150 milhões de pessoas entre o presente mês de dezembro e meados de 2021.

Ambas as vacinas requerem regimes de “reforço” de duas doses e como tal é esperado que cerca de 6 milhões de doses comecem a ser distribuídas imediatamente após a autorização de emergência da FDA. O governo federal pagará por ambas as vacinas, sem custos diretos para os americanos.

A segunda autorização dos EUA ocorre num momento em que a FDA está a atualizar as orientações dadas aos médicos depois de um profissional de saúde no Alasca ter tido uma reação alérgica imediatamente após receber a vacina. Os cientistas da Moderna disseram que houve duas reações alérgicas nos seus testes.

Relacionadas

China vai vacinar 50 milhões de pessoas até 12 de fevereiro próximo

A campanha deverá começar em breve, mas a data específica pode variar, dependendo das províncias do país, embora as primeiras 50 milhões de doses devam estar prontas em 15 de janeiro e a segundas em 05 de fevereiro.

António Costa: Vacinação no dia 27 vai arrancar com lote “simbólico” de 9.750 doses

“Neste primeiro lote que vai ser entregue ainda antes do final do ano são cerca de nove mil doses que vão ser entregues. É mais seguro, mais justo e mais compreensível podermos atribuir estas do primeiro lote, que é relativamente simbólico”, esclareceu o primeiro-ministro após reunião do Conselho de Ministros.
Recomendadas

OE2023: Marcelo diz que previsões são melhores do que esperava mas não são “maquilhagem política”

O Presidente da República afirmou hoje que as previsões económicas do Governo para 2023 são melhores do que esperava, mas considerou que não são “um exercício de maquilhagem política”, embora admitindo que posam falhar.

PCP considera que OE2023 deve dar prioridade à “recuperação e valorização de salários e pensões”

A líder do grupo parlamentar sublinha que o Governo “vai prolongar a perda do poder de compra por parte da esmagadora maioria dos trabalhadores”, depois de se ter reunido com o Executivo de António Costa.

Governo prevê PIB a crescer 1,3% e défice de 0,9% no próximo ano

O cenário macroeconómico da proposta de Orçamento do Estado para 2023, que está hoje a ser apresentado aos partidos, contempla prevê um abrandamento do crescimento económico de 6,5%, este ano, para 1,3% no próximo. Inflação mantém-se no patamar do OE2022 de 4% e dívida cai para 110,8%.
Comentários