EUA: que impacto terá a subida histórica das taxas de juro? Veja o “Mercados em Ação”

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

A decisão da Reserva Federal norte-americana em subir as taxas de juro em meio ponto, a maior subida em duas décadas, visa responder a uma inflação que está em máximos de 1981. Que impacto terá esta decisão da Fed na economia norte-americana e mundial? Este é o tema principal desta edição do programa “Mercados em Ação”. A reação do BCE a esta decisão e a época de resultados trimestrais nos EUA e Portugal também irão merecer a análise neste programa.

André Cabrita Mendes, subdiretor do JE e Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, analisam estes e outros temas com a ajuda de Steven Santos, diretor das áreas de corretagem e de plataformas de trading do banco BiG.

No “Mercados em Ação”, programa da plataforma multimédia JE, vai poder contar com a análise de especialistas em temas como ações e obrigações; investimento e poupança; BCE e FED; resultados e empresas; análises e gráficos.

Fique a par de toda a informação sobre as últimas novidades dos bancos centrais, de como fazer investimentos e poupança e de resultados e empresas.

Recomendadas

Bruxelas quer emitir 50 mil milhões de euros em obrigações para financiar NextGenerationEU

Bruxelas anunciou o programa de financiamento para entre julho e dezembro.

Aeroporto do Porto distinguido como “Best European Airport”

O prémio foi entregue pela organização internacional dos aeroportos, refere-se à categoria de 10-25 milhões de passageiros e destaca a qualidade do serviço, de acordo com um comunicado de imprensa da ANA Aeroportos de Portugal.

BdP rejeita subida significativa do incumprimento no crédito à habitação

Questionado sobre se espera um aumento do incumprimento das famílias no crédito habitação, devido ao aumento das taxas de juro, uma vez que a maioria daquele tipo de crédito em Portugal é contratualizado com taxas variáveis, Mário Centeno disse que “a resposta breve é não”.
Comentários