EUA receiam “década perdida” na economia europeia

Os Estados Unidos receiam “uma década perdida” na economia europeia e apelam aos governos para adotarem “ações determinadas” que travem o declínio, afirmou o secretário do Tesouro norte-americano, Jacob Lew. “O mundo não pode permitir uma década perdida na Europa (…). São necessárias ações determinadas das autoridades nacionais e de outras instituições europeias para reduzir […]

Os Estados Unidos receiam “uma década perdida” na economia europeia e apelam aos governos para adotarem “ações determinadas” que travem o declínio, afirmou o secretário do Tesouro norte-americano, Jacob Lew.

“O mundo não pode permitir uma década perdida na Europa (…). São necessárias ações determinadas das autoridades nacionais e de outras instituições europeias para reduzir o risco de a recessão entrar num declínio mais profundo”, de acordo com o texto do discurso de Lew divulgado antecipadamente aos jornalistas.

A alguns dias da cimeira de países do G20 na Austrália, Lew considerou que o “statu quo na Europa” não permitiu atingir os objetivos de um crescimento “forte” e “duradouro” definidos no início de 2014.

Em fevereiro, os países industrializados e emergentes do G20 fixaram como objetivo um aumento de 2% da riqueza mundial nos próximos cinco anos.

Segundo Lew, “o BCE adotou medidas enérgicas para apoiar a economia através de uma política monetária acomodatícia”, mas só isso “não é suficiente para garantir o regresso a um crescimento saudável”.

Os Estados Unidos não podem “compensar” o fraco crescimento das principais potências económicas, tanto na Europa como no Japão, afirmou.

“A economia mundial (…) não pode esperar que os Estados Unidos registem progressos suficientes para compensar o fraco crescimento das principais economias mundiais”, indicou.

OJE/Lusa

Recomendadas

Patrões vão ter majoração em 50% dos custos com aumentos salariais no IRC

No âmbito do acordo de rendimentos, o Governo decidiu propor aos parceiros sociais uma majoração em 50% dos custos com a valorização salarial em IRC. Patrões têm reclamado, note-se, medidas mais transversais.

Governo propõe reforço do IRS Jovem. Isenção sobe para 50% no primeiro ano

Jovens vão passar a ter um desconto fiscal maior, no início da sua carreira. IRS Jovem passará a prever uma isenção de 50%, em vez de 30%, no primeiro ano.

Governo quer atualizar os escalões do IRS em 5,1% em 2023

O Governo decidiu rever em alta o referencial dos aumentos salariais, puxando-o para o valor do aumento da massa salarial da Função Pública: 5,1%. Será esse o número que será usado para atualizar os escalões do IRS.