EUA: Reserva Federal volta a subir juros em 75 pontos pela quarta vez consecutiva

Os juros diretores nos EUA voltaram a subir em 75 pontos pela quarta vez consecutiva, colocando a taxa de referência em 3,75% a 4% e deixando investidores e analistas à procura de pistas sobre a taxa terminal da normalização monetária na maior economia do mundo.

Mais uma reunião se política monetária nos EUA, mais uma subida de 75 pontos base (p.b.) nos juros diretores da maior economia mundial. Sem surpresas, a Reserva Federal optou novamente por subir as taxas de referência face a uma inflação que continua sem retornar ao objetivo de médio-prazo do banco central americano, decisão que os mercados vinham já dando como adquirida.

Os juros diretores nos EUA ficam assim definidos entre 3,75% a 4% depois do anúncio desta quarta-feira.

Esta foi a sexta subida consecutiva dos juros diretores e a quarta seguida de 75 p.b., depois de largos meses em que a Fed considerou o fenómeno nos preços como ‘transitório’.

Levando esta subida como certa, os mercados vinham já projetando a taxa terminal do processo de normalização monetária, ou seja, o pico nos juros, com a possibilidade de um aumento mais tímido já em dezembro, de 50 p.b., a ganhar força nas últimas semanas. A economia norte-americana continua a dar sinais de vitalidade em várias frentes, mas começam também a surgir indícios de fragilidade nalguns sectores, como o imobiliário, o que levanta algumas dúvidas quanto à necessidade de provocar uma recessão para dominar a pressão nos preços.

A semana revelará ainda os dados de outubro quanto à criação de emprego, números que serão chave para compreender o impacto da subida dos juros na economia real e antecipar as próximas decisões da Reserva Federal. O relatório da criação de emprego em outubro será divulgado esta sexta-feira.

Recomendadas

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.

PSI encerra no ‘vermelho’ em contra ciclo com a Europa

Lá fora, as principais praças europeias negociaram maioritariamente em terreno positivo. O FTSE 100 valorizou 0,32%, o CAC 40 ganhou 0,08%, e o DAX apreciou 0,01%. O espanhol IBEX 35 manteve-se estável.
Comentários