Eupago quer duplicar a equipa e chegar aos 100 colaboradores até 2024

A ‘fintech’ tem por objetivo corresponder ao seu plano de expansão, reforçando-se nas áreas de desenvolvimento, suporte técnico/cliente, marketing, compliance e comercial, segundo revela em comunicado.

A Eupago pretende passar para o dobro o número de colaboradores da sua equipa, para um total de 100 elementos até 2024. A fintech tem por objetivo corresponder ao seu plano de expansão, com novos projetos no mercado nacional (Porto e Lisboa) e internacional (Madrid), de acordo com um comunicado divulgado esta quarta-feira.

O propósito é reforçar as capacidades daquela instituição financeira nas áreas de desenvolvimento, suporte técnico/cliente, marketing, compliance e comercial. Para tal, a Eupago pretende “investir em pessoas formadas e capazes de dar a melhor resposta às necessidades da empresa”.

Nas palavras do CEO da empresa, Telmo Santos, citadas no mesmo documento, o objetivo é “mantermo-nos na vanguarda tecnológica, com personalização de serviços e procura de novas soluções para uma melhor eficiência das operações.”

Em termos práticos, a Eupago quer alcançar a marca das 20 mil contas ativas em Portugal até ao final do ano e registar seis mil milhões de euros em pagamentos pela via digital.

Recomendadas

EDP procura startups mais inovadoras na área da energia

Elétrica lança a 7ª edição do Free Electrons em busca de startups inovadoras. Candidaturas decorrem até 28 de janeiro.

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.

Mercado automóvel cresce 1,8% entre janeiro e novembro, mas muito longe dos números pré-pandemia

Dados da ACAP revelam que em termos globais, o mercado automóvel regista um crescimento de 1,8% entre janeiro a novembro de 2022, face a igual período do ano anterior. De referir que 11,1% dos veículos ligeiros de passageiros novos são elétricos (BEV).
Comentários