Euro cai para 1,06 dólares, mínimo desde 2017

O euro desceu hoje abaixo de 1,06 dólares, um mínimo desde abril de 2017 em relação ao dólar, que se valoriza devido à divergência entre as políticas monetárias da Reserva Federal (Fed) e do Banco Central Europeu (BCE).

O euro desceu hoje abaixo de 1,06 dólares, um mínimo desde abril de 2017 em relação ao dólar, que se valoriza devido à divergência entre as políticas monetárias da Reserva Federal (Fed) e do Banco Central Europeu (BCE).

O euro estava a ser negociado por volta das 09:15 TMG (10:15 em Lisboa) a 1,06 dólares, abaixo de 1,0650 do dia anterior no mercado monetário europeu.

“O euro cai para níveis mínimos não vistos desde 2017 pressionado pela aversão generalizada ao risco pela divergência entre as políticas monetárias da Fed e do BCE”, refere um analista da Ebury, citado pela Efe.

“A recente mudança de orientação política do BCE não conseguiu impulsionar o euro em relação ao dólar, uma vez que o BCE é relativamente menos agressivo, e porque se espera que a política monetária do BCE se aperte a um ritmo mais lento do que a da Fed”, acrescentam os analistas de Ebury.

O aumento do risco de estagflação na zona euro em relação aos EUA, em resultado da guerra na Ucrânia, constitui também uma pressão descendente sobre o euro.

As tensões entre a União Europeia (UE) e a Rússia sobre o fornecimento de energia estão também a pesar sobre o euro.

A Rússia cortou o fornecimento de gás à Bulgária e à Polónia.

A volatilidade contínua do mercado favorece largamente o dólar americano em fluxos de refúgio/seguro.

A venda generalizada de ativos de risco, devido a preocupações com o abrandamento económico global, fez baixar o euro para 1,06 dólares.

A moeda única foi negociada num intervalo entre 1,0585 dólares e 1,0655 dólares.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa contraria Europa e encerra em terreno positivo com a EDP a liderar ganhos

Contrariamente, as congéneres europeias encerram a sessão no ‘vermelho’, excetuando o espanhol Ibex 35, que valoriza 0,05%.

Wall Street abre no ‘vermelho’. Snapchat arrasta sector tecnológico com perdas superiores a 38%

As ações da Snapchat (Snap) caem 38,05% para 13,96 dólares e arrastam o sector tecnológico depois de a empresa ter emitiu uma declaração em que fazia uma revisão em baixa das suas previsões sobre o crescimento trimestral e apontou para a deterioração do ambiente macroeconómico.

Greenvolt e Energias de Portugal lideram perdas na Bolsa de Lisboa

A Bolsa de Lisboa está a meio da sessão no ‘vermelho’. A Greenvolt desce 6,78%, para os 6,74 euros e a EDP desvaloriza 1,09%.
Comentários