Euro segue a 0,98 dólares em mínimos de 20 anos

Às 17:55 (hora de Lisboa), o euro seguia a 0,98438 dólares quando na quarta-feira negociava a 0,98704 dólares.

O euro caiu hoje e seguia a 0,98 dólares, o nível mais baixo em 20 anos, depois de a Reserva Federal norte-americana (Fed) ter subido as taxas de juro e anunciado novos aumentos.

Às 17:55 (hora de Lisboa), o euro seguia a 0,98438 dólares quando na quarta-feira negociava a 0,98704 dólares.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou o câmbio de referência do euro em 0,9884 dólares.

A Fed anunciou na quarta-feira uma subida de 75 pontos base na sua taxa de juro, um aumento igual ao que tinha decidido nas duas últimas reuniões, em junho e julho.

O banco central norte-americano indicou em comunicado que “antecipa que outros aumentos adicionais serão necessários em 2022” face a uma inflação elevada e persistente.

“Depois de manter níveis próximos da paridade durante o último mês, o euro finalmente afundou pressionado pela subida das taxas de juro norte-americanas”, referem analistas de Monex Europe, citados pela Efe.

Hoje, o Banco Nacional da Suíça também adotou um aumento de 75 pontos base, enquanto o Banco de Inglaterra e o Norges Bank da Noruega aprovaram subidas de 50 pontos base.

O Banco do Japão manteve as suas taxas de juro, mas fez uma intervenção no mercado de divisas para travar a depreciação do iene.

A intervenção teve lugar depois de o dólar ter chegado a valer 145,90 ienes, um máximo de 24 anos.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa segue sessão no ‘verde’ com BCP a valorizar mais de 5%

A Altri é a única cotada que está a desvalorizar, caindo 0,10%, com as suas ações a valerem 5,18 euros.

Fed, BCE, reviravolta no Reino Unido, eleições no Brasil e saída do CEO da Galp. Veja o “Mercados em Ação”

A decisão da Fed e a próxima reunião do BCE. A queda da libra e as eleições no Brasil, mais a saída de Andy Brown da Galp. André Cabrita-Mendes, subdiretor do JE, e Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, analisam estes temas em conjunto com Nuno Sousa Pereira da Sixty Degrees.

Reino Unido. Mercados valorizam depois de Governo recuar no corte fiscal

O índice FTSE 100 segue a valorizar mais de 1,5%.
Comentários