Euro2016 com prémios de 300 milhões

Vencedor da final, agendada para 10 de julho, no Stade de France, arrecada oito milhões

A UEFA anunciou que o Euro2016 de futebol, que terá pela primeira vez 24 seleções, incluindo Portugal, vai ter um total de 300 milhões de euros em prémios, com o vencedor a poder arrecadar 27 milhões.

Na véspera do sorteio da fase final do Europeu de França, o organismo revelou um aumento de mais de 50 por cento em relação à prova que aconteceu há quatro anos na Polónia e Ucrânia, na altura com apenas 16 equipas, que teve um total de 196 milhões de euros.

Só por participar, Portugal e as restantes seleções vão receber oito milhões de euros, com uma vitória na fase de grupos a valer um milhão e o empate 500 mil.

O apuramento para os oitavos de final garante mais 1,5 milhões de euros, enquanto os “quartos” têm 2,5 milhões como prémio e as meias-finais quatro milhões.

O vencedor da final, agendada para 10 de julho, no Stade de France, arrecada oito milhões, enquanto o vencido ficará com cinco milhões.

“A seleção que conquistar o Europeu, caso vença todos os jogos na fase de grupos, terá um prémio total de 27 milhões de euros, mais quatro milhões e meio do que em 2012”, lê-se no comunicado da UEFA.

O Euro2016 vai decorrer em França de 10 de junho a 10 de julho.

OJE

Recomendadas

Mundial. Marrocos elimina Espanha e pode defrontar Portugal nos quartos

Marrocos qualificou-se hoje para os quartos de final do Mundial de futebol de 2022, ao vencer a Espanha por 3-0, no desempate por penáltis, no sétimo encontro dos ‘oitavos’, em Doha, marcando encontro com o vencedor do Portugal-Suíça.

Renato Paiva é o novo treinador do ‘promovido’ Bahia

O português Renato Paiva é o novo treinador do Bahia, assumindo a equipa no regresso à Série A brasileira de futebol e dias depois de a SAD do clube ser adquirida pelo Grupo City.

Liga Portuguesa é “exemplo internacional” no combate à corrupção, diz Pedro Proença

O Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional considerou que a Liga portuguesa tem vindo a “consolidar” um “caminho de rigor, transparência e credibilidade”.