Europa discute resposta à ameaça terrorista

Os ministros do Interior da União Europeia, incluindo o ministro da Administração Interna português, João Calvão da Silva, discutem na sexta-feira a resposta a dar à ameaça terrorista.


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031
Os ministros do Interior da União Europeia, incluindo o ministro da Administração Interna português, João Calvão da Silva, discutem sexta-feira a resposta a dar à ameaça terrorista.
A reunião extraordinária foi pedida pela França, para “reforçar” a luta anti-terrorista depois dos atentados de Paris. Durante a reunião serão debatidas as medidas a tomar para responder à ameaça terrorista em solo europeu.

Os assuntos em discussão, em Bruxelas, serão as respostas operacionais imediatas que devem ser tomadas em matérias como um registo de nomes dos passageiros (PNR) europeu, o reforço dos controlos das fronteiras externas da UE, novos regulamentos para armas de fogo, combate ao financiamento de terroristas e resposta da justiça criminal.

 OJE
Recomendadas

Erdogan pede ao islão para se envolver na Síria

Recep Erdogan está a fazer todos os esforços para escorar a sua eminente entrada na Síria para perseguir os curdos, que considera terroristas. E quer acomodar essa vontade nos interesses do mundo muçulmano.

Governo alemão defende plano para flexibilizar regras de cidadania

O governo alemão delineou planos para reduzir de oito para cinco o número máximo de anos que uma pessoa deve esperar antes de se tornar cidadã.

União Europeia apela ao fim do bloqueio no Montenegro

O Parlamento retirou competências à presidência e transferiu-as para a assembleia, dominada por uma coligação de partidos de tendência claramente pró-Rússia. A adesão do país à União Europeia está por isso comprometida.