Europa fecha em forte alta e PSI acaba semana em beleza

Todos os setores fecharam em alta. “O Tecnológico, Media, Consumo e Farmacêutico valorizaram mais de 3%. No de Retalho de notar a recuperação da Zalando, que chegou a tombar quase 20% após a emissão de um profit warning, mas acabou com uma perda inferior a 2%”, diz. o analista do BCP.

O PSI subiu hoje 1,84% para 6.030,46 pontos numa Europa a disparar mais quase 3%. A maior subida deu-se na Galp com as ações a avançarem 3,72% para 11,28 euros. Seguida pelas ações dos CTT que dispararam 3,57% para 3,19 euros, um dia depois de anunciar o seu plano estratégico para 2025.

As subidas da Geenvolt (+2,94% para 7,00 euros); da REN (+2,37% para 2,810 euros); da Altri (+1,95% para 6,26 euros); da Navigator (+1,86% para 3,83 euros); da Jerónimo Martins (+1,72% para 19,56 euros); da EDP (+1,47% para 4,49 euros); da EDP Renováveis (+1,56% para 22,85 euros); do BCP (+1,33% para 0,1749 euros); e da NOS (+1,41% para 3,89 euros) foram as que mais se destacaram.

Apenas uma ação fechou em queda, a Semapa que recuou -0,15% para 13,28 euros.

Os principais índices de ações reforçaram os ganhos durante a tarde e encerraram em ambiente de valorização expressiva, num sentimento que é partilhado pelos congéneres de Wall Street.

O EuroStoxx 50 subiu 2,89% para 3.538,8 pontos; e o Stoxx 600 ganhou 2,62%.

Nas principais praças, a FTSE 100 subiu 2,61% para 7.203,8 pontos; o CAC 40 subiu 3,30% para 6.077,23 pontos; o DAX avançou 1,66% para 13.126,6 pontos; o FTSE MIB cresceu 2,42% para 22.137,3 pontos e o IBEX valorizou 1,90% para 8.260,2 pontos.

Nas empresas destaque para o facto de a italiana Eni ter adiado o IPO (entrada em bolsa) da sua unidade de energias renováveis, devido à recente deterioração das condições do mercado na Europa.

Segundo Ramiro Loureiro, Analista de Mercados do BCP, refere na sua análise que todos os setores fecharam em alta. “O Tecnológico, Media, Consumo e Farmacêutico valorizaram mais de 3%. No de Retalho de notar a recuperação da Zalando, que chegou a tombar quase 20% após a emissão de um profit warning, mas acabou com uma perda inferior a 2%”, diz.

O analista destacou que as vendas de casas novas nos EUA aumentaram inesperadamente em maio e a um ritmo surpreendente reforçaram o otimismo, ofuscando a revelação de que a confiança dos consumidores norte-americanos terá recuado mais que o previsto em junho.

Na Europa as notícias mais relevantes dão conta que a Comissão Europeia está a preparar um plano comum de emergência para redução da procura de energia, que será apresentado em julho aos líderes da União Europeia.

Também o sentimento entre os gestores alemães piorou. O Índice de Clima de Negócios do Ifo caiu para 92,3 pontos em junho, abaixo dos 93 pontos de maio.

A nível macroeconómico destaque para o facto de a taxa de poupança das famílias em Portugal cair 2,4 pontos percentuais no primeiro trimestre face ao anterior, para 8,3% do rendimento disponível, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística.

A dívida pública alemã a 10 anos sobe 1,25 pontos base para 1,44%; Portugal tem os juros a subirem 3,06 pontos base para 2,51%; Espanha com juros a avançarem 3,26 pontos base para 2,54%; e Itália agrava os juros em 5,85 pontos base para 3,44%.

O euro  sobe 0,20% para 1,0544 dólares.

O Brent em Londres disparou 2,81% para 113,14 dólares o barril.

 

Recomendadas

Wall Street fecha semana em alta com semicondutores a darem ímpeto

O sector tecnológico esteve em destaque, beneficiando da aposta dos investidores na recuperação dos fabricantes de semicondutores Nvidia e Micron e dos dados da inflação de julho, que afastam subidas mais fortes das taxas de juro em setembro.

Bolsa de Lisboa encerra sessão a perder mais de 1%

O BCP e a Galp estão a liderar as perdas na bolsa de Lisboa. Por outro lado a Greenvolt é a cotada com mais ganhos.

Wall Street abre no ‘verde’ em linha com congéneres europeias

O Nadaq sobe agora 0,54% para 12.848,50 pontos, o S&P 500 avança 0,51% para 12.848,50 pontos e o Dow Jones valoriza 0,47% para 33.492,84 pontos.
Comentários