Eurosondagem: Maioria dos portugueses querem mudar sistema eleitoral e eleger o seu deputado

A sondagem elaborada para a SEDES – Associação para o Desenvolvimento Económico e Social revela que quase dois terços dos entrevistados, 65,2%, gostariam de poder eleger o seu deputado através de um sistema maioritário, contra 20%. À possibilidade de escolha do deputado, 14,8% disse ter dúvidas, não saber/querer responder.

Rafael Marchante/Reuters

Mais de metade dos portugueses discordam do sistema eleitoral vigente e gostariam de o mudar para poderem eleger o seu deputado à Assembleia da República, revela um estudo da Eurosondagem para a SEDES a que a Lusa teve acesso.

Questionados sobre o sistema eleitoral proporcional, com círculos eleitorais distritais, 60,3% dos inquiridos responderam que não concordam, 22,5% mostraram-se de acordo e 17,2% disseram ter dúvidas ou não saber/querer responder.

A sondagem elaborada para a SEDES – Associação para o Desenvolvimento Económico e Social revela que quase dois terços dos entrevistados, 65,2%, gostariam de poder eleger o seu deputado através de um sistema maioritário, contra 20%. À possibilidade de escolha do deputado, 14,8% disse ter dúvidas, não saber/querer responder.

Quando questionados sobre “o melhor sistema para eleger a Assembleia da República”, 47,2% disseram preferir um “sistema misto”, em que uma parte dos deputados são eleitos em sistema maioritário e outra parte em sistema proporcional, para defender os partidos com menos eleitores.

Só 16,9% dos inquiridos afirmaram preferir o sistema atual, 25% prefere um sistema maioritário e 10,2% tem dúvidas, não sabe/quer responder.

O estudo da Eurosondagem foi realizado entre 18 e 20 deste mês através de 1.033 entrevistas telefónicas validadas para fixos e móveis e tem um erro máximo de 3,05% para um grau de probabilidade de 95%.

A SEDES, atualmente presidida pelo médico socialista Álvaro Beleza, é uma das mais antigas associações do país, tendo comemorado em novembro o seu 50.º aniversário.

Recomendadas

Eutanásia: Marcelo afirma que decidirá “rapidamente” e aponta para alturas do Natal

O Presidente da República garantiu hoje que decidirá rapidamente sobre a lei da despenalização da morte medicamente assistida, que deverá ser aprovada sexta-feira no parlamento, quando receber o documento, apontando a altura do Natal como data provável.

Lisboa aprova orçamento municipal para 2023 com abstenção de PS, IL e PAN

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou a proposta de orçamento para 2023, com votos a favor de PSD, CDS-PP, MPT, PPM e Aliança, a abstenção de PS, PAN e IL e os votos contra dos restantes deputados.

Governo anuncia Fórum Social do Porto em maio

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus anunciou a realização em maio de 2023 do Fórum Social do Porto, para fazer o seguimento da Cimeira Social realizada durante a presidência portuguesa da União Europeia.
Comentários