Eurostat: Preço do pão sobe 18% em agosto na UE e 15% em Portugal

De acordo com o serviço estatístico da UE, o aumento do preço do pão tem acelerado desde março, chegando a um pico de 18% em agosto, na UE.

O preço do pão estava, em agosto, 18% mais alto do que no mesmo mês de 2021 na União Europeia (UE), divulga hoje o Eurostat, em consequência da ofensiva russa na Ucrânia, que perturbou os mercados globais.

De acordo com o serviço estatístico da UE, o aumento do preço do pão tem acelerado desde março, chegando a um pico de 18% em agosto, na UE.

Em Portugal, o preço do pão aumentou 15,0% entre agosto de 2021 e agosto de 2022.

Entre os Estados-membros, as maiores subidas no preço do pão, em agosto, registaram-se na Hungria (65,5%), Lituânia (33,3%), Estónia e Eslováquia (32,2% cada).

Por outro lado, França (8,2%), Países Baixos (9,6%) e Luxemburgo (10,2%).

O Eurostat destaca que os preços do pão e dos óleos alimentares, tiveram subidas muito acentuadas devido à invasão da Ucrânia pela Rússia, dado que ambos os países são importantes exportadores de cereais, como o trigo e o milho, e ainda de fertilizantes.

Recomendadas

Ameaça nuclear de Putin “deve ser levada a sério”, alerta analista

“Estamos a abordar uma situação considerada impensável. Uma nova realidade”, vincou Eugene Rumer, ex-oficial dos serviços de informações para a Rússia e Eurásia no Conselho de Inteligência Nacional dos Estados Unidos e diretor do programa Rússia e Eurásia do Carnegie Endowment Endowment for International Peace.

Eleições em São Tomé. Patrice Trovoada exorta primeiro-ministro a reconhecer a derrota

O presidente da Ação Democrática Independente (ADI), partido mais votado nas legislativas de São Tomé e Príncipe, exortou hoje o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, a reconhecer a derrota do MLSTP/PSD “o mais rapidamente possível” para apaziguar o clima social.

CPLP e comunidade da África Central negoceiam cooperação política e de formação em português

A Comunidade Económica dos Estados da África Central e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) discutiram hoje formas de cooperação no domínio político, desenvolvimento da língua portuguesa e comissões de observação eleitoral, referiram responsáveis das organizações.
Comentários