Evans Chebet e Sharon Lokedi impõem domínio queniano na maratona de Nova Iorque

O queniano Evans Chebet, já vencedor em Boston, em abril, ganhou hoje a maratona de Nova Iorque, ao concluir a prova em 2h08 e 41 segundos, oferecendo uma ‘dobradinha’ ao seu país, com o triunfo de Sharon Lokedi, nas mulheres.

6 – Nova Iorque, Estados Unidos

Aos 34 anos, Chebet superou o etíope Shura Kitata, segundo a 13 segundos, e o neerlandês Abdi Nageeye, medalha de prata nos Jogos de Tóquio no ano passado completou o pódio, ao ser terceiro.

Chebet assumiu o comando da corrida depois de o brasileiro Daniel do Nascimento, que se destacou logo no arranque da prova, ter quebrado, com o queniano a não dar a partir daí qualquer hipótese aos seus perseguidores, sucedendo assim ao seu compatriota Albert Korir no palmarés da corrida.

A prova disputada nas ruas da ‘Big Apple’ fechou um ano de total domínio queniano nas maratonas, em que os seus corredores fecharam 2022 com seis em seis vitórias: Eliud Kipchige em Tóquio (06 março) e Berlim (25 de setembro), Evans Chebet em Boston (18 de abril) e Nova Iorque (06 de novembro), Amos Kipruto em Londres (02 de outubro) e Benson Kipruto em Chicago (09 de outubro).

Esta foi a primeira vez que uma nação completou o ‘Grand Slam’ desde que o circuito mundial foi alargado a seis corridas, com a inclusão de Tóquio em 2013.

Na corrida feminina, a vitória foi para Sharon Lokedi, que efetuou a primeira corrida na distância e logo com um tempo de 2h23 e 23 segundos.

Aos 28 anos, Lokedi cortou a meta instalada no Central Park à frente da israelita Lonah Chemtai Salpeter, que foi segunda a sete segundos da vencedora, enquanto a etíope Gotytom Gebreslase foi terceira classificada.

Lokedi sucede no palmarés àsua compatroita Peres Jepchirchir, medalha de ouro nos Jogos de Tóquio em 2021, mas ausente este ano em Nova Iorque.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Ronaldo mais próximo da Arábia Saudita e de voltar a ser o mais bem pago do mundo

O clube saudita é, com alguma distância, aquele que oferece melhores condições financeiras ao atleta, depois de se esgotarem as alternativas na elite do futebol europeu e de ficar claro que as equipas da MLS (liga norte-americana de futebol) não estão dispostas a ir tão longe para assegurar Ronaldo.

Mundial2022: António Costa cancela deslocação para assistir a jogo por motivos de saúde

António Costa será substituído pela ministra dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, que tem a tutela do Desporto.
Comentários