Ex-deputada do PSD condena Alberto João Jardim por chamar “talibãs” aos socialistas madeirenses (com áudio)

Líder histórico do PSD-Madeira e presidente do governo regional entre 1978 e 2015 disse que os “talibãs da incompetência” socialistas que desde há oito anos gerem a principal autarquia madeirense têm como estratégia “manter a pobreza mantendo os subsídios e a mão de obra barata”.

A ex-deputada social-democrata Rubina Berardo, que representou o círculo da Madeira na Assembleia da República na legislatura anterior, criticou o antigo presidente do governo regional madeirense, Alberto João Jardim, por ter chamado “talibãs da incompetência” aos socialistas da região autónoma num comício da coligação entre PSD e CDS-PP que pretende reconquistar a Câmara do Funchal.

“Comparar com voz populista a política autárquica regional com a crise humanitária no Afeganistão é uma tremenda falta de respeito pelo pânico que vivem as vítimas de um sistema de violência medieval”, defendeu na sua página de Twitter Rubina Berardo, que já escreveu artigos de opinião sobre os últimos desenvolvimentos nesse país asiático. E que em 2017, quando era deputada, gerou um incidente diplomático ao visitar o enclave arménio do Nagorno-Karabakh, motivando protestos formais do governo do Azerbaijão.

Durante o comício realizado neste sábado no Funchal, Alberto João Jardim, líder histórico do PSD-Madeira e presidente do governo regional entre 1978 e 2015, disse que os “talibãs da incompetência” socialistas que desde há oito anos gerem a principal autarquia madeirense têm como estratégia “manter a pobreza mantendo os subsídios e a mão de obra barata”.

O então independente (e agora líder regional socialista) Paulo Cafôfo conquistou a Câmara do Funchal ao PSD em 2013, sendo reeleito em 2017, mas cedeu a presidência a Miguel Silva Gouveia dois anos mais tarde. O novo líder da Coligação Confiança, que junta PS, Bloco de Esquerda, PAN, MPT e PDR, disputará a autarquia com o até agora vice-presidente do governo regional, o social-democrata Pedro Calado, cabeça de lista da Coligação Funchal Sempre à Frente, constituída pelo PSD e CDS-PP.

Uma sondagem revelada na última edição do Económico Madeira revela que Pedro Calado tem a reconquista do Funchal pelo centro-direita no seu horizonte, com 38,8% de intenções de voto, contra apenas 24,7% para a coligação liderada pelo incumbente Miguel Silva Gouveia, mas três em cada dez funchalenses ainda não sabem em quem (ou se) irão votar. Por outro lado, nenhum dos outros partidos que se apresentam a votos terão hipóteses de eleger vereadores caso se confirmem estes resultados a 26 de setembro.

Recomendadas

Madeira promove conferências sobre património cultural imaterial da região

A primeira conferência dará mote ao tema “Património Cultural Imaterial: Conceitos, Domínios e Inventário”. A segunda conferência é intitulada “Ter começado é meio caminho andado”, e aborda o papel da Secretaria Regional de Turismo na preservação deste património.

Funchal já aprovou 160 mil euros dos apoios municipais “Alavancar” e “Re-Abrir”

No total, são 500 mil euros disponíveis, a fundo perdido, dos quais 32% estão aprovados.

Um senhorio pode aumentar a renda em mais de 50%? Saiba aqui

O aumento da renda da casa é uma das preocupações mais comuns e que, na verdade, resulta da subida da inflação. Mas, apesar de haver algumas exceções, dependendo de contrato para contrato, os senhorios têm de respeitar algumas regras para proceder ao aumento da renda.
Comentários