Ex-ministro Adalberto Campos Fernandes vai coordenar Ciências da Saúde na Europeia

A Universidade Europeia tem previsto “um forte investimento” na área da saúde, nomeadamente em tecnologia, inovação, capital humano e novos programas, revela a reitora Hélia Gonçalves Pereira.

A Universidade Europeia anunciou esta quinta-feira, 14 de outubro, a entrada de Adalberto Campos Fernandes, antigo ministro da Saúde e especialista em Saúde Pública, para assumir a coordenação da área de Ciências da Saúde.

Com este reforço, a universidade dá um passo fundamental para impulsionar a área da Saúde em Portugal, tal como definido no seu plano estratégico. A área da saúde tem sido trabalhada e desenvolvida há vários anos, como referiu numa entrevista ao Jornal Económico a reitora, Hélia Gonçalves Pereira.

“Esta escolha vai, por um lado, ao encontro do plano estratégico da Universidade Europeia, que prevê um forte investimento na área da saúde (tecnologia, inovação capital humano e novos programas) e, por outro, apoiará a universidade a, mais rapidamente e garantindo pilares de excelência, ir de encontro às necessidades da própria sociedade portuguesa”, explica Hélia Gonçalves Pereira, em comunicado.

Adalberto Campos Fernandes foi ministro da Saúde do XXI Governo Constitucional (2015-2018), é doutorado em Administração da Saúde pelo ISCSP (Universidade de Lisboa), mestre em Saúde Pública na especialidade de Administração dos Serviços de Saúde pela ENSP (Universidade Nova de Lisboa), licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, especialista em Saúde Pública e com competências em Medicina Farmacêutica e Gestão em Saúde pela Ordem dos Médicos.

“A vontade da Universidade Europeia em apostar na área da Saúde em Portugal é um passo importante para a instituição e para a história do ensino superior privado no nosso país, pelo que é para mim muito motivante ter sido convidado para contribuir neste projeto”, afirma Adalberto Campos Fernandes. “Sabemos que há ainda um longo caminho a percorrer, mas estou certo de que os objetivos definidos serão alcançados com sucesso. O investimento da Universidade Europeia na área da Saúde vem apenas reforçar o papel inovador e desafiador que a Instituição tem demonstrado, bem como reforçar a sua atenção às mudanças e tendências económicas e sociais”.

Recomendadas

IPLeiria: estudantes com necessidades específicas aumentam 60% em três anos

No ano letivo 2021/22 estudavam no Politécnico de Leiria, 111 alunos ao abrigo do estatuto de estudantes com necessidades específicas.

Investigadores do Politécnico de Leiria estudam produção sustentável de papaias em aquaponia

O estudo tem uma duração de cerca de 12 meses e pretende comparar as características morfológicas e de crescimento das plantas, sob o efeito de dois substratos: leca versus tijolo triturado.

Premium“Os nossos alunos não têm ‘apenas’ emprego, têm escolhas”

O ISEL cobre todas as áreas da Engenharia no ensino e investigação. Segundo o seu presidente, José Nascimento, Portugal tem de ultrapassar o preconceito do ensino politécnico e investir mais na atratividade salarial.
Comentários