Ex-ministro das Finanças do Luxemburgo Pierre Gramegna lidera MEE a partir de hoje

Numa reunião realizada à distância na passada sexta-feira, o Conselho de Governadores do MEE, que junta os 19 ministros das Finanças da moeda única, decidiu nomear o luxemburguês Pierre Gramegna para o cargo de diretor executivo do fundo de resgate da zona euro.

Ex-diplomata e liberal, o luxemburguês Pierre Gramegna vem de um país pequeno da UE, mas com tradição de liderança no bloco. No entanto, o Luxemburgo também já tem um cargo forte na Europa: a presidência da Comissão Europeia.

O antigo ministro luxemburguês das Finanças Pierre Gramegna é, a partir de hoje, diretor executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), após o Luxemburgo ter retirado esta candidatura, quando Portugal também o fez com a de João Leão.

Numa reunião realizada à distância na passada sexta-feira, o Conselho de Governadores do MEE, que junta os 19 ministros das Finanças da moeda única, decidiu nomear o luxemburguês Pierre Gramegna para o cargo de diretor executivo do fundo de resgate da zona euro.

A decisão surgiu depois de antes, em setembro, o Governo português ter anunciado que retirou a candidatura do ex-ministro das Finanças João Leão ao cargo de diretor executivo do MEE, num acordo feito na altura com o Luxemburgo, que também abdicou então do seu candidato, Pierre Gramegna.

Tal cedência deveu-se a negociações sem frutos, já que nenhum dos quatro candidatos que se apresentaram ao cargo (incluindo o ex-governante português João Leão) conseguiu, durante meses, reunir 80% dos votos expressos, numa votação realizada por maioria qualificada.

Nesta votação, Portugal tem, por exemplo, um direito de voto de cerca de 2,5%, o que compara com o da Alemanha (26,9%) e de França (20,2%), estes com maior peso e com poder de veto, sendo estas percentagens iguais ao número de ações atribuídas a cada país membro do MEE no capital social autorizado.

O alemão Klaus Regling, que era diretor executivo do Mecanismo desde a criação da instituição, em 2012, terminou o seu mandato no início de outubro.

O Conselho de Governadores do MEE é o órgão máximo de tomada de decisões do organismo, que é composto por representantes governamentais de cada um dos 19 acionistas do mecanismo, os países do euro, com a pasta das Finanças. Portugal está representado pelo ministro da tutela, Fernando Medina.

O diretor executivo do MEE é responsável por conduzir os trabalhos do mecanismo.

Sediado no Luxemburgo, o MEE é uma organização intergovernamental criada pelos Estados-membros da zona euro para evitar e superar crises financeiras e manter a estabilidade financeira e a prosperidade a longo prazo, concedendo empréstimos e outros tipos de assistência financeira aos países em graves dificuldades financeiras.

Recomendadas

Ligações ferroviárias de Lisboa a Corunha e Madrid entre projetos apoiados pela UE

O executivo comunitário anunciou hoje que escolheu 10 projetos-piloto que apoiará para estabelecer novos serviços ferroviários ou melhorar os já existentes, apontando que, no seu conjunto, “irão melhorar as ligações ferroviárias transfronteiriças em toda a União Europeia, tornando-as mais rápidas, mais frequentes e mais acessíveis”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

“Temos o melhor pipeline de sempre em oportunidades de negócio”, salienta CEO da Webhelp Portugal

O crescimento desta empresa que proporciona serviços de apoio ao cliente, permite aumentar o investimento e criar ainda mais postos de trabalho, de acordo com Carlos Moreira, o administrador da Webhelp em Portugal, no podcast “JE Entrevista”.
Comentários